10 atrações imperdíveis do Festival de Arquitetura de Londres

Ataques não afetam London Festival of Architecture, que destaca projetos privilegiando o verde e o humano em harmonia com constante reurbanização

(Londres, BR Press) – O London Festival of Architecture 2017, que acontece durante todo o mês de junho, é o maior até hoje. Reúne mais de 500 eventos. Mas tamanho não é documento. O que vale, no final das contas, são as reflexões sobre a cidade, o espaço urbano e coletivo que, mesmo sob constante ameaça terrorista, não para de atrair turistas e residentes.

Este ano, o tema do evento é a memória que, apesar de intangível, está intrinsecamente ligada aos espaços físicos – indoors e outdoors. Nesse sentido, a cidade resgata sua história para reescrevê-la por meio do urbanismo e da revitalização, sempre privilegiando a ocupação humana. Nesse sentindo, escolhemos 10 atrações do festival de arquitetura que trazem esse espírito londrino, mas que interessa a todas as metrópoles globais. 

Às vésperas do Brexit – a saída do Reino Unido da União Europeia –, que promete impor novo ritmo (talvez mais lento) para seu alucinado batimento cardíaco, Londres se dá o direito de parar para respirar, refletindo sobre o que foi, como chegou até aqui, o que mudou e o que precisa mudar. Quer seguir em frente e seu futuro precisa ser sustentável.  Por isso, ocupa todos os seus cantos verdes e reinventa áreas para convivência. 

Confira o top 10 do London Festival of Architecture

1. Canal & River Trust

(Juliana Resende/BR Press)

Órgão responsável pela revitalização das margens dos canais do Tâmisa,  apelidados de ‘Little Venice” (Pequena Veneza), o Canal & River Trust tem muito a ensinar aos poluídos rios urbanos no Brasil. “Transformamos os canais. E os canais estão transformando Londres”, diz a placa com detalhes da obra. No primeiro final de semana do festival de arquitetura, com o sol beijando a cidade no início do verão, percorremos o Regent’s Canal. Antes feioso e abandonado, o espaço está todo revitalizado e repleto de pessoas passeando, correndo, andando de bicicleta e até morando em barcos ancorados às margens. Um must do em Londres e highlight do festival.

2. Gasholder Gardens

(Divulgação/BR Press)

No passeio pelo Regent’s Canal, saímos da estação King’s Cross St. Pancreas (o maior hub ferroviário e metroviário de Londres) e fomos até o Camden Lock, no coração de Camden Town. No caminho está um dos mais incríveis  projetos residenciais, que é a cereja do bolo da renovação pela qual a região está passando. Em Gasholder Gardens, três torres têm como base estruturas cilíndricas gigantes de gasodutos da Era Vitoriana, datados de 1850, que compunham o maior gasoduto de Londres, o Pancreas Gasworks.

Também conhecido como Gasholder Park, o conjunto tem design pós-moderníssimo, com cobertura de aço inox, criando um efeito espelhado, e é interligado por uma praça ampla e convidativa, onde é possível relaxar, fazer um piquenique ou ler um bom livro. O empreendimento, a cargo do estúdio Bell Phillips, está na etapa final de construção. “O Gasholder Park combina ícones da era industrial com a arquitetura contemporânea, criando um lugar único”, diz Hari Phillips, arquiteto fundador do escritório. 

Para tornar a região ainda mais atraente, mudando não só o landscape como o acesso a ela, arquitetos da Moxon e engenheiros da Arup se uniram para construir uma ponte para pedestres, que vai ligar a Camley Street ao Gasholder Gardens. A ponte será inaugurada ainda neste verão, valorizando o lazer integrado com a urbanização – algo que Londres privilegia e tem orgulho de exibir neste festival de arquitetura. 

3. River Walks: Waterhood

(Reprodução/Emirates Cable Car)

Trata-se de um passeio de teleférico (Emirates Cable Car) pelas Royal Docks na Greenwich Peninsula. O Waterhood é um projeto dedicado à reapropriação de áreas industriais às margens do rio Tâmisa para criação de ecovilas com residências a preços convidativos, sob a batuta do Prof. Alex de Rijke, diretor e fundador do escritório dRMM. O passeio convida o visitante a conhecer a planta da East-London Royal Victoria Docks – um novo e versátil lugar para morar, trabalhar e ter uma loja –, cercada de água e praças públicas.

4. Rural Urban Synthesis Society

(Reprodução/Taran Wilkhu)

Projeto de casas do arquiteto alemão Walter Segal, a Rural Urban Synthesis Society (theRUSS.org) é um condomínio de casas construídas nos anos 80 pelos próprios moradores, com auxílio de Segal, num terreno no sul de Londres cedido pela subprefeitura. O principal objetivo é proporcionar moradia de qualidade, sustentável e barata a pessoas que estão na fila de espera para financiamento de casas próprias. O lugar é quase que uma ecovila, com casas espaçosas construídas em madeira, vidro, bambu e outros materiais naturais, com muito estilo e verde à volta – é como morar no countryside dentro da cidade. Detalhe: com estação de trem que leva ao centro da cidade em 20 minutos!

A Rural Urban Synthesis Society está construindo outro condomínio no mesmo estilo do original proposto por Walter Segal (tema do livro Walter’s Way and Segal Close, que Alice Grahame, moradora e diretora da RUSS, lança durante o festival), cuja construção começa em janeiro de 2018. Aviso: não há mais vagas!

5. Battersea Power Station

(Reprodução/Battersea Power Station)

Imortalizada e conhecida nos quatro cantos do mundo por estampar a capa do disco Animals do Pink Floyd (1977), a Battersea Power Station costumava ser uma estação hidrelétrica que abasteceu Londres por anos. O local foi desativado para se transformar no Circus Village West, um empreendimento comercial e residencial de 8 milhões de libras que mistura escritórios, lojas, residências, parque, complexo aquático suspenso e a maior loja da Apple na Europa.

O renomado arquiteto americano Frank Gehry assina ali seu primeiro projeto na cidade, juntamente com o também renomado arquiteto inglês Sir Norman Foster. A imponente edificação à beira do rio Tâmisa teve sua estrutura mantida e Gehry será responsável por cinco torres e pelo prédio central, chamado Flor.

No dia 25/06, o tour pela Battersea terá como guia o arquiteto Jim Eyre, diretor do  WilkinsonEyre Architects, escritório que está coordenando os trabalhos que prometem tornar a Battersea em uma referência mundial em renovação de plantas industriais desativadas.

Extra: está em cartaz em Londres a maior exposição sobre a banda já vista, no Victoria & Albert Museum.

6. Pavilion Lego Workshops

(Divulgação/London Festival of Architecture)

A Dulwich Picture Gallery recebe, nos dias 17 e 18/06, uma brincadeira que inspira crianças e adultos a entrar no universo da arquitetura e do design por meio dos tijolinhos da Lego. Com a ajuda de construtores profissionais da marca, o festival propõe que cada visitante crie uma maquete de seu lar ideal de Lego, que poderá ser levada para casa. Custa  16 libras (cerca de R$ 60) por participante.

Extra: a exposição The Art of the Bricks: DC Superheroes, reunindo super-heróis feitos de Lego, no Southbank,  em Londres, até setembro de 2017.

7. London Tomorrow

(Raphael Arthur/London Tomorrow)

Um fim de semana na London School of Architecture vai discutir o que a cidade planeja para seu futuro em termos de arquitetura e design para acomodar a crescente população urbana. Atualmente, mais da metade da humanidade vive em cidades. A medida em que o século XXI avança, grandes concentrações urbanas serão os locais mais estratégicos para enfrentar temas globais como mudanças climáticas, crescimento populacional e aumento da expectativa de vida, desigualdade social e econômica e disparidades consequentes, como na saúde e na educação. O evento acontece nos dias 23 e 25/06 na Somerset House (por si só já vale a visita). 

8. The London Festival of Architecture Modern Listing Debate

(Reprodução/Historic England Archive)

O debate tem como tema a inclusão da controversa geração de prédios pós-modernos dos anos 80 (uma década cuja estética, em todos os aspectos, é considerada de gosto duvidoso) entre os padrões e graus que classificam  – e valorizam – edificações históricas no Reino Unido. Para apartar ou colocar mais fogo na polêmica, o London Festival of Architecture se uniu ao Historic England, órgão responsável pela classificação das edificações na Inglaterra. O painel inclui a participação de Sir Terry Farrell para discutir o valor dos chamados “listed buildings” no século 21, e sobre qual é o mecanismo mais adequado para classificar e capturar a memória arquitetônica ou mesmo impedir a construção de num novo empreendimento num prédio histórico. 

Dia 20/06, no The IET, Savoy Place. 

9. London Festival of Architecture Open Studios

(Divulgação/London Festival of Architecture)

Durante todos os finais de semana de junho, vários escritórios de arquitetura londrinos estarão abertos à visitação pública. Além de geralmente serem um colírio para quem gosta de arquitetura e decoração, esses espaços oferecem workshops e exposições gratuitas. Visitamos o Feilden Fowles, e nos encantamos com o prédio, que mescla ferro e vidro, e com a localização, no sul da cidade. Nos próximos finais de semana, escritórios estarão abertos para visitação em Fitzrovia (09 e 10/06), Shoreditch e norte de Londres (16 e 17/06), e Clerkenwell (24 e 25/06). Recomendamos conferir a Middlesex House (09 e 10/06), reunindo as firmas Make, Glenn Howells Architects e Fletcher Priest Architects; e o evento Future Memories, oferecido por Mulroy, importante hub criativo no norte de Londres (16 e 17/06).

10. Metropolis: Lab Live

(Reprodução/Sir John Soane's Museum)

Por volta de 2050, mais de 65% da população mundial viverá em áreas urbanas. A forma como moramos, trabalhamos e socializamos deve estar em constante transformação e evolução para que os desafios não se transformem no colapso das cidades. Esse laboratório imaginário propõe um exercício de criação de espaços ideais onde os participantes possam interagir e explorar materiais, formas  e funções. As atividades são feitas para toda a família.

Acontece no dia 18/06 no Imagination Lab at The Workshop.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s