4 closets que são sonhos de consumo

Quatro projetos, que facilitam a organização de roupas, sapatos e acessórios, pensados em função do dia a dia dos moradores

Divisória Vazada

Closet instalado atrás da cama de casal, em projeto de Diogo Luz e José Guilherme Carceles, do escritório Casa 100. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Criado pelos arquitetos Diogo Luz e José Guilherme Carceles, do escritório Casa 100, este closet compacto foi posicionado atrás da cama e liberou espaço de circulação no quarto. “Para não dar a sensação de vazio, optamos por colocar um fechamento leve, mas que marcasse a área do armário”, explica José.

Ali, chapas metálicas perfuradas mantêm a passagem de luz sem pesar. As roupas informais foram acomodadas nas gavetas e prateleiras, enquanto os ternos ocupam os cabides. Na cabeceira da cama, um baú armazena objetos do dia a dia, além de toalhas e lençóis.

A marcenaria de pínus ficou a cargo da Uzuni Design. Com um visual leve, a divisória de chapas metálicas perfuradas não recebeu pintura. Tapete da Botteh e peseira e porta-travesseiros do Mundo do Enxoval. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Deslocada para a frente, em direção à sala, a cama cedeu lugar ao closet, que ainda ganhou um maleiro na parte superior. O quarto é integrado ao restante do apartamento, por isso, o morador pediu que os armários seguissem a mesma linguagem clara de toda a decoração. (Divulgação/Revista CASA CLAUDIA)

 

Espaço demarcado

Closet em projeto da arquiteta Fabiana Stuchi. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

No quarto de paredes brancas, o cubo azul esconde o closet do casal de moradores, além de adicionar uma boa dose de personalidade ao décor. “O revestimento de laca acetinada tem uma cor intensa, que aceita muitas combinações”, explica a arquiteta Fabiana Stuchi, autora do projeto.

Na parte interna, os compartimentos seguem as preferências de cada um. Na área da mulher, há muitas gavetas com divisórias internas e, na do marido, espaço para pendurar cabides.

Portas de correr isolam o closet, e a sapateira fica na parte externa. Marcenaria executada pela Marvellar. As caixas de plástico (Utilplast) organizam os acessórios, enquanto as bolsas ocupam as prateleiras. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

O cubo azul é o centro das atenções do projeto, segundo a arquiteta, e funciona como uma divisória entre o quarto e a sala. “Distribuí os demais ambientes com base nele. Apesar de ser um elemento de serviço, tem destaque e não precisa ficar escondido”, explica. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

 

Industrial vintage

Closet junto ao banheiro , em projeto da arquiteta Eloisa Marçola. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Este closet foi pensado para um advogado que mora sozinho e adora praticar esportes. Assim, para organizar um acervo de roupas que vai do formal ao casual, houve a necessidade de criar espaços variados.

“O móvel de metal do tipo vestiário faz a função das gavetas. Deixamos o armário aberto para os ternos e as camisas”, explica a arquiteta Eloisa Marçola, do Estúdio Penha, que comandou o projeto juntamente com Leticia de Nóbrega. O estilo industrial desenha todo o espaço e foi uma proposta das profissionais para o morador, que adorou a ideia.

O armário maior veio da Trilho Móveis, e o menor (Desmobilia) teve seu interior repaginado para ganhar prateleiras. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA/4 closets que são sonhos de consumo)

As arquitetas transformaram um dos quatro quartos do apartamento em closet. O espaço ficou integrado com a bancada do banheiro para facilitar o dia a dia do morador. “Ele gosta de se cuidar, por isso instalamos espelho e pia grandes”, conta Eloisa. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

 

Azul com brilho

Closet no banheiro, em projeto do arquiteto Diego Revollo. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Logo que contratou o arquiteto Diego Revollo, o proprietário deste apartamento apresentou a ele um moodboard com imagens que ilustravam o seu gosto. Isso guiou o profissional no projeto, inclusive na escolha do tom azul-petróleo do closet, integrado ao banheiro.

As divisões refletem o estilo despojado do morador. “Ele pediu que o armário não tivesse portas para ficar mais prático no dia a dia. Optei por prateleiras e gavetas e deixei os sapatos na parte de baixo”, diz Diego.

Closet e armário sob a cuba executados pela marcenaria Inovart. Tapete da By Kamy sobre piso de tauari (Gasômetro Müller). Louças e metais da Deca e caixas e bandeja da LS Selection. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

“O closet foi integrado ao banheiro, que, por sua vez, está ligado ao quarto por meio de portas de correr. Isso tornou o espaço mais amplo”, explica o arquiteto.
A parede do fundo do armário recebeu as mesmas pastilhas da área molhada para reforçar a ideia de integração. (Divulgação/Revista CASA CLAUDIA)

 

(Divulgação/Revista CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s