4 spas com estilos diferentes em SP

Criamos um roteiro de bem-estar com spas urbanos distintos

Conheça quatro spas urbanos com estilos diferentes e que são puro deleite para olhos, corpo e alma.

1. Kennzur: um oásis no meio da cidade

Junto à recepção, a varanda coberta tem mesa da Tora Brasil. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Localizado bem ao lado do Ibirapuera, o spa é aberto para a natureza e funciona quase como uma extensão do parque. Essa sensação é provocada pelo paisagismo criado por Alex Hanazaki, que, além de incorporar árvores e plantas existentes no terreno, também escolheu espécies com o papel de integrar as duas paisagens. “Criamos uma paleta natural, com tons terrosos, para reforçar a proposta”, conta Zize Zinke, que assina a arquitetura e os interiores.

Em meio ao jardim, há pequenos recantos de contemplação, como a área da lareira (Construflama), ao fundo (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Para entrar nesse clima, o visitante é recepcionado com uma xícara de chá com blend exclusivo, saboreado enquanto o ritual de lava-pés é aplicado. Na sequência, as vivências – como são chamados os tratamentos – acontecem em salas privativas ou ao ar livre. Fluidos aromacológicos estão presentes em todos os rituais, como no Relaxamento Sueco (359 reais), que libera as tensões e elimina o estresse.

(Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

2. Cidade Jardim: relax nas alturas

Ao fundo, a parede, coberta de pastilhas furta-cor (Atlas), faz referência ao brilho da água. Deque da RB Pisos. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Madeira, mármores nobres e tecidos de fibras naturais desenham a atmosfera do spa assinado por Arthur Casas e localizado no quinto andar do shopping Cidade Jardim. A paleta neutra tem um propósito: desacelera o ritmo, é suave ao olhar e favorece a transição entre a agitação externa e o clima de descompressão que paira por ali.

Um circuito de piscinas aquecidas oferece massagens subaquáticas (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

“Ponto alto do projeto, o pavilhão das águas conta com piscinas quentes, nas quais é possível fazer desde banhos de imersão até massagens altamente relaxantes”, conta. Mais de dez rituais compõem o menu. Entre eles,o carro-chefe é o tratamento Cidade Jardim (a partir de 200 reais), que une técnicas suecas e hindus para eliminar a fadiga, ativar a circulação e, claro, relaxar o corpo e a mente. Tudo isso com a paisagem da capital como pano de fundo.

(Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

3. Aigai: Atmosfera Cosmopolita

Sob a sombra da pérgulado tipo muxarabiê, balanço de Patricia Urquiola para a italiana Moroso (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Na mitologia greco-romana, Aigai era o refúgio submerso de Poseidon, onde ele não era perturbado, mas acompanhava tudo o que acontecia na superfície. Além do nome, o Aigai Spa, projetado pelo escritório Figueroa Arquitetura, se apropria também do conceito do lugar mitológico: é um espaço de desconexão, mas sem perder a essência urbana.

(Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Móveis criados por designers internacionais consagrados se espalham pelas seis salas de tratamento e pelos 12 pátios internos, estrategicamente distribuídos pelos 1,2 mil m². No piso superior, a área My Spa recebe os convidados de maneira privativa e com mimos exclusivos, como o ritual Hammam (880 reais), em que, depois de permanecer numa sala aquecida por vapor de água, o visitante segue para uma esfoliação feita por um massoterapeuta e finalizada com um banho gelado. Puro relax!

(Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

4. Lush Spa: estilo inglês com clima cozy

Aconchegante, a sala de espera tem lambris feitos de material reciclado (Santa Luzia) (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

A decoração inspirada nos chalés ingleses não é por acaso: a marca foi fundada na Inglaterra há 21 anos e está em São Paulo desde 2014 com a segunda maior loja da rede (são 650 m²). O endereço une a venda direta de produtos com a área privativa de spa.

Os móveis de madeira de demolição (Omni) conferem aconchego à copa. Na parede, o revestimento (Portobello) remete aos azulejos típicos das estações inglesas de metrô. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

O projeto, uma parceria da designer Katie Tabram e dos arquitetos Carlos Myra e Angela Beneton, do Studio M+B, conta com dois lounges, uma charmosa copa e quatro salas de massagem, que seguem o mesmo conceito ecológico e sustentável dos itens de beleza vendidos pela grife. No menu estão nove tratamentos, feitos com os óleos, os cremes e as emulsões da marca. Em alguns deles, como o Validation Facial (360 reais, um ritual para iluminar a pele do rosto e do pescoço), é possível escolher os produtos na hora nas gôndolas da loja. Uma delícia, não?

(Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s