Casa aberta para o verde em Angra dos Reis

Entre sem bater: esse é o convite este projeto, da arquiteta Lia Siqueira, faz à paisagem

A pedra melania (Marmoraria Santa Cruz da Serra) do piso lembra a cor da areia. O pergolado forma uma espécie de hall a céu aberto. (André Nazareth/Revista CASA CLAUDIA)

A ideia, desde o esboço inicial, era montar um bloco reto e transparente, com os ambientes integrados entre si e ao entorno. E que entorno: uma área preservada de mangue, a poucos passos de distância do deslumbrante mar de Angra dos Reis (RJ).

À esquerda, a escada valoriza outro banco, de Sergio Rodrigues. À direita, a arquiteta desenhou este banco de peroba-do-campo especialmente para o projeto e o colocou à frente dos brises verticais. (André Nazareth/Revista CASA CLAUDIA)

Para que o horizonte pudesse fazer parte do projeto, a arquiteta Lia Siqueira apostou em pouca marcenaria fixa e muitas divisórias móveis – praticamente todas as portas deslizam e se abrem, definindo planos que deixam o cenário à vista. Ou se fecham, formando cantos aconchegantes.

Sofás com capas de sarja dão um ar descontraído à sala, decorada ainda com a mesa de centro Pigmento, da Ovo, e poltronas de Claudia Moreira Salles. Ao fundo, a mesa de jantar da Etel é iluminada pelos pendentes Gamela, criação de Lia para a Lumini. (André Nazareth/Revista CASA CLAUDIA)

Exatamente como queria a família, um casal com filhos, que sonhava em receber amigos de todas as idades num lugar acolhedor e sem frescuras, porém com toques de sofisticação. “Quis trazer para os espaços a sensação de leveza que se tem na beira da praia. Por isso, escolhi um piso claro, numa tonalidade que remete à areia, e preferi o branco para os estofados e as paredes. Nos móveis, busquei fugir de modismos e apostei em matérias-primas naturais, como a palha e a madeira”, explica Lia.

A passarela aberta funciona como um pergolado integrado ao jardim. (André Nazareth/Revista CASA CLAUDIA)

Além dessa preocupação, a arquiteta destaca outra: encomendou aberturas sob medida para aproximar os interiores do paisagismo pensado por Gilberto Elkis.

Na cozinha gourmet, o estar tem poltronas de Carlos Motta e sofá e mesa lateral de Claudia Moreira Salles. Os toldos (à esq.) se encaixam do teto ao piso, repetindo a linguagem dos brises. Tela de Marcelo Catalano. (André Nazareth/Revista CASA CLAUDIA)

“O verde é um elemento essencial aqui. Ele não apenas emoldura o projeto como se funde com a paisagem”, arremata ela.

O bloco do spa ganhou um aparador desenhado por Lia, tingido de laca branca. O visor circular faz a conexão com a sauna. O deque com lâminas de cumaru de diferentes larguras cerca a piscina, revestida de pedras da Palimanan. (André Nazareth/Revista CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s