Caixa Cultural São Paulo inaugura três mostras em janeiro

Em cartaz de 10 de janeiro a 4 de março, as exposições têm entrada franca

Marcando o começo de 2018, o Caixa Cultural São Paulo, na Praça da Sé, inaugura três mostras simultâneas amanhã, dia 10 de janeiro. Em cartaz até 4 de março, as exposições terão entrada franca e alguns eventos paralelos. Confira:

Um Autorretrato Cubano – José Alberto Figueroa

Em cartaz de 10 de janeiro a 4 de março, as exposições têm entrada franca

 (Divulgação/Caixa Cultural)

Pela primeira vez no Brasil, a obra do fotógrafo cubano José Alberto Figueroa será exposta em uma retrospectiva histórica com 69 imagens.

“Conhecido por registros que ilustram questões sociais e políticas de Cuba, Figueroa é considerado um dos precursores da fotografia conceitual, tanto em Cuba como em toda a América Latina. Em sua obra, o fotógrafo mostra seu olhar sobre fases históricas do país, desde os primórdios da Revolução Cubana, quando pôde acompanhar mudanças sociais significativas e controversas, até os tempos atuais”, o Caixa Cultural explica em sua página oficial.

No dia 12 de janeiro, o local receberá o fotógrafo para um bate-papo e para o lançamento do catálogo da exposição.

Flávio de Carvalho – Expedicionário

Em cartaz de 10 de janeiro a 4 de março, as exposições têm entrada franca

 (Divulgação/Caixa Cultural)

Fotografias, documentos, reportagens de jornal, cadernos de viagem e outros materiais, resultado de projetos expedicionários de Flávio de Carvalho (1899-1973), comporão a mostra, que conta com curadoria de Amanda Bonan e Renato Rezende.

“Inquieto, controverso, performático, anedótico, Flávio de Carvalho não respeitou regras ou convenções para manifestar seu espírito livre e suas ideias visionárias. Com trajetória artística marcada por polêmicas, o modernista costumava se definir como um arqueólogo malcomportado, alguém que vasculhava as mais profundas camadas de sensibilidade, sem reverenciar o que ele chamava de catecismo científico”, o espaço cultural conta.

Dividida por expedições, a exposição também contará com a exibição do filme A Deusa Branca, gravado na Amazônia. O longa marcou a estreia de Flávio na cinematografia.

A Construção do Patrimônio

Em cartaz de 10 de janeiro a 4 de março, as exposições têm entrada franca

 (Divulgação/Caixa Cultural)

Realizada pelo Instituto Pedra, a mostra reúne mais de 150 documentos, quadros, esculturas, mobiliário e outras peças. O objetivo é traçar um panorama da história das políticas públicas de preservação do Brasil, assim como definir os desafios para a expansão do conceito de patrimônio.

Parte das comemorações dos 80 anos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), a exposição tem curadoria de Luiz Fernando de Almeida, ex-presidente do Instituto.

“Uma reflexão sobre a ideia de patrimônio pode ser uma das mais potentes metáforas dos brutais desafios que vivemos no nosso tempo, diante da dificuldade e necessidade de projetar o nosso futuro”, diz Luiz Fernando Almeida.

No acervo, registros e obras de Tarsila do Amaral, Mário de Andrade e Oscar Niemeyer. Também há uma réplica de Aleijadinho. Em 01/2, o curador levará os visitantes por uma visita guiada e um debate será realizado com Anna Beatriz Galvão.

 (Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s