IMS inaugura duas novas mostras para conferir em SP

Fotografias de Mauro Restiffe e uma instalação audiovisual do artista escocês Douglas Gordon estão em cartaz na Avenida Paulista desde 15 de abril

O Instituto Moreira Salles abriu a público duas novas exposições, em sua unidade da Avenida Paulista, para os apaixonados por arte e fotografia. São Paulo, fora de alcance e Îles flottantes (Se Monet encontrasse Cézanne, em Montfavet), de Mauro Restiffe e Douglas Gordon respectivamente, ficam em cartaz até dia 26 de agosto.

São Paulo, fora de alcance

Praça Roosevelt #2, 2014. Fotografia de Mauro Restiffe / São Paulo, fora de alcance, projeto realizado pelo IMS

Praça Roosevelt #2, 2014. Fotografia de Mauro Restiffe / São Paulo, fora de alcance, projeto realizado pelo IMS (Praça Roosevelt #2, 2014. Fotografia de Mauro Restiffe / São Paulo, fora de alcance, projeto realizado pelo IMS/Instituto Moreira Salles)

Com 19 fotografias, que abrangem cenários como a Cracolândia e o bairro da Luz, Mauro Rastiffe apresenta o de eventos cotidianos a fatos extraordinários no cenário do relevo urbano. As imagens foram feitas em 2014, com câmera Leica e filme preto e branco de alta sensibilidade, e aborda os usos variados e inesperados que os habitantes fazem de São Paulo. Em alusão ao percurso não linear das cidades, as obras de Rastiffe são penduradas em painéis espalhados pelo espaço expositivo.

 

Îles flottantes (Se Monet encontrasse Cézanne, em Montfavet)

Videoinstalação de Douglas Gordon. Îles flottantes, (Se Monet encontrasse Cézanne, em Montfavet), 2008 © Studio lost but found / VG Bild-Kunst, Bonn 2018

Videoinstalação de Douglas Gordon. Îles flottantes, (Se Monet encontrasse Cézanne, em Montfavet), 2008 © Studio lost but found / VG Bild-Kunst, Bonn 2018 (Divulgação/Instituto Moreira Salles)

Conhecido por criar obras em múltiplos formatos, o artista plástico escocês Douglas Gordon terá duas exposições em São Paulo abertas em abril. No IMS, a videoinstalação Îles flottantes registra a inversão do fluxo do sistema de canalização em uma casa, inundando o jardim e encobrindo progressivamente crânios humanos dispostos pelo artista no local. A obra estabelece uma tensão entre o signo da morte (caveira) e o da vida (água), e é inspirada em pinturas dos impressionistas Monet e Cézanne. Gordon também expôs uma seleção de 25 trabalhos na Galeria Marília Razuk, intitulada I Will, if You Will…, aberta no dia 7 de abril e em cartaz até 26 de maio.


Instituto Moreira Salles (IMS) – Avenida Paulista, 2424, São Paulo/SP

Data: De 14 de abril a 26 de agosto 

Horários: Terças a domingos (exceto quintas), das 10h às 20h. Às quintas (exceto feriados), das 10h às 22h.

Entrada gratuita

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s