Paris ganha museu dedicado à vida e obra de Alberto Giacometti

Localizado no mesmo bairro parisiense em que o artista trabalhou até o fim da vida, o Instituto será também um centro de pesquisa de história da arte

Ateliê de Giacometti por Ernst Scheidegger.

Ateliê de Giacometti por Ernst Scheidegger. (Divulgação/Fundação Giacometti)

A partir do dia 21 de junho deste ano, Paris abrigará um museu dedicado exclusivamente ao artista plástico suíço Antonio Giacometti (1901 – 1966). Além de apresentar a maior coleção já reunida de obras e artigos do escultor, o espaço também será uma instituição de ensino, com programas pedagógicos e de pesquisa aprofundada sobre história da arte.

Veja também: MCB recebe mostra sobre o ícone do design italiano Gio Ponti

Fachada do Museu em Paris.

Fachada do Museu em Paris. (Divulgação/Fundação Giacometti)

Com curadoria e direção de Catherine Grenier, o Instituto Giacometti promove um novo olhar sobre o trabalho do artista vanguardista e sobre o período efervescente no mundo da arte do qual ele fez parte. A mostra permanente contará com 350 esculturas, 90 pinturas e mais de 2 mil desenhos, além de gravuras e objetos decorativos assinados por Giacometti.

Ateliê de Giacometti por Sabine Weiss.

Ateliê de Giacometti por Sabine Weiss. (Divulgação/Fundação Giacometti)

O Instituto Giacometti é ao mesmo tempo um museu, um local de referência para o trabalho de Giacometti e um centro de pesquisa de história da arte dedicado às práticas modernas. Por meio de conferências, seminários e palestras, historiadores e curadores terão a oportunidade de apresentarem seus trabalhos e artigos.

Veja também: Em Milão, mostra homenageia vida e obra de Osvaldo Borsani

Dentro do museu Instituto Giacometti em Paris.

Dentro do museu Instituto Giacometti em Paris. (Divulgação/Fundação Giacometti)

Dentre os 350 m² do museu, 24 foram reservados para a réplica do pequeno e abarrotado estúdio onde Giacometti trabalhou por mais de 10 anos. “Criamos uma visita cenográfica pontilhada de surpresas, através de uma abordagem contextual e de uma intervenção personalizada e minimalista”, conta o arquiteto Pascal Grasso, que comandou a reconstituição.

Reconstituição do ateliê de Giacometti.

Reconstituição do ateliê de Giacometti. (Divulgação/Fundação Giacometti)

Grande parte do rico acervo da Fundação Giacometti, entidade criada pela esposa do artista para preservar as obras, ficou inacessível ao público desde sua morte, em 1966. Essa é a primeira vez em 52 anos que a Fundação exibe sua coletânea completa.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s