Pinacoteca inaugura 4 novas mostras no prédio da Luz

Em cartaz desde 24 de março, as pequenas exposições incluem quadros, um vídeo e uma intervenção

Com a proposta de destacar obras pouco ou nunca antes mostradas, a Pinacoteca de São Paulo recebe quatro novas mostras no segundo andar do prédio da Luz: um conjunto de obras coloniais da coleção Fundação Nemirovsky, uma produção audiovisual por Rosangela Rennó, uma intervenção pela artista Ana Batista Dias e pinturas de José Antônio da Silva.

As pequenas exposições estão montadas nas salas anexas às galerias do acervo permanente e ficarão em cartaz até dia 6 de agosto desse ano. A curadoria é assinada pela própria equipe da Pinacoteca.

 

Arte colonial na coleção da Fundação Nemirovsky

Santa Luzia (século XVIII), escultura espanhola por artista desconhecido.

Santa Luzia (século XVIII), escultura espanhola por artista desconhecido. (Divulgação/Pinacoteca de São Paulo)

Composta de destaques do valioso acervo que o casal Nemirovsky reuniu, a exposição, que fica localizada na sala A, conta com obras de arte colonial brasileira e latino-americana.

 

Rosângela Rennó: Vera Cruz

Vera Cruz (2000), vídeo de 44 minutos por Rosangela Rennó.

Vera Cruz (2000), vídeo de 44 minutos por Rosangela Rennó. (Divulgação/Pinacoteca de São Paulo)

Na sala B, os visitantes podem conferir o vídeo Vera Cruz (2000), produzido para a Mostra do Redescobrimento (São Paulo, 2000), em que a artista Rosângela Rennó apresenta um documentário ficcional sobre o descobrimento do Brasil, baseado na carta escrita por Pero Vaz de Caminha.

 

Ana Dias Batista: Chão comum

Chão Comum (2018), intervenção por Ana Dias Batista.

Chão Comum (2018), intervenção por Ana Dias Batista. (Divulgação/Pinacoteca de São Paulo)

Ocupando as salas C e 7 do museu, a artista Ana Dias Batista propõe reflexões sobre o modo que interagimos com as obras de arte nos museus. Na sala C, Ana montou uma instalação sonora com passos no interior da própria Pinacoteca. Já na 7, uma intervenção dedicada à pintura de gênero leva todas as obras ao nível do chão.

 

José Antônio da Silva: “Nasci errado e estou certo”

Luta de Touros (1968), por José Antonio da Silva.

Luta de Touros (1968), por José Antonio da Silva. (Isabella Matheus/Pinacoteca de São Paulo)

Também escolhida do acervo da Fundação Nemirovsky, em comandato com a Pinacoteca, as pinturas do modernista José Antônio da Silva compõem uma seleção que compreende um período amplo, entre o final da década de 1940 e início dos anos 1980, e apresenta também aspectos variados da obra do artista, desde a representação de temas míticos e religiosos, até cenas da vida rural, com figurações de festas populares, plantações de algodão e a criação de gado.


Pinacoteca de São Paulo – Praça da Luz, 2 – Luz, São Paulo – SP.

Data: 24 de março à 6 de agosto

Horários: Quarta a segunda, das 10h às 17h30 com permanência até as 18h.

 (Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s