SP-Arte/2018: tudo o que você precisa saber

O festival é o mais importante evento de arte na América Latina e chega à sua 14ª edição, que acontece de 12 a 15 de abril no Parque do Ibirapuera

Reunindo mais de 160 expositores e galerias de 15 países, a 14ª edição da @sp_arte começou hoje, 12, no Pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo e vai até domingo (15). O festival, que é o mais importante evento de arte na América Latina, contará com talks, exposições, festas, lançamentos e visitas guiadas. Neste ano, a SP-Arte está dividida em quatro setores: Solo, com mostras individuais de artistas contemporâneos; Repertório, voltado para a compreensão de um recorte de produção contemporânea; Performances, com cinco performances simultâneas de longa duração; e Design, explorando a união das artes visuais com o design. Confira na galeria alguns destaques do evento que CASA CLAUDIA visitou ontem, na abertura para imprensa. (Via @nadiasimonelli e @missbruno) #sparte #sparte2018 #arte #design

A post shared by CASA CLAUDIA (@revistacasaclaudia) on

Reunindo mais de 160 expositores e galerias de 15 países, a 14ª edição da SP-Arte começa hoje, 12, no Pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. O festival, que é o mais importante evento de arte na América Latina, contará com talks, exposições, festas, lançamentos e visitas guiadas.

O festival é o mais importante evento de arte na América Latina e chega à sua 14ª edição, que acontece de 12 a 15 de abril no Parque do Ibirapuera

 (Divulgação/SP-Arte)

Neste ano, a SP-Arte está dividida em quatro setores: Solo, com mostras individuais de artistas contemporâneos; Repertório, voltado para a compreensão de um recorte de produção contemporânea; Performances, com cinco performances simultâneas de longa duração (novidade); e Design, explorando a união das artes visuais com o design.

Abaixo, separamos o que há de mais quente acontecendo no evento. Confira:

Banco Organic, de Fernanda Marques, 2017. Banco Organic, de Fernanda Marques, 2017.

Banco Organic, de Fernanda Marques, 2017. (Divulgação/SP-Arte)

Gallery Night

Antecipando a chegada da SP-Arte, galerias e museus da cidade organizaram eventos especiais nos últimos dois dias. As atividades gratuitas aconteceram no dia 9 nos bairros da Vila Madalena e de Pinheiros e, no dia 10, nos Jardins e no Itaim Bibi.

Talks

No Lounge Bienal, no subsolo do Pavilhão, um ciclo de palestras e debates vai discutir a arte na contemporaneidade. Em sua quarta edição, a série é gratuita, será mediada pela jornalista Adriana Couto e contará com a participação de especialistas da área, colecionadores e artistas, como Aaron Cezar, Betty Duker e Giselle Beiguelman.

A programação completa você confere aqui.

Lançamentos

Diversos títulos serão lançados no Lounge SP-Arte entre os dias 12 e 14 de abril, sempre às 17h. Entre as publicações estão Cildo – estudos, espaços, tempo, da editora Ubu sobre a obra de Cildo Meireles; Na outra margem, o Leviatã, publicação da Banca Tatuí com contos de Cristhiano Aguiar; e O círculo de Theon Spanudis, obra biográfica do colecionador, crítico e apoiador das artes, publicada pela editora Cult Arte e Comunicação.

Confira a programação completa aqui.

O festival é o mais importante evento de arte na América Latina e chega à sua 14ª edição, que acontece de 12 a 15 de abril no Parque do Ibirapuera

 (Divulgação/SP-Arte)

Visitas Guiadas

Para oferecer uma programação cultural aprofundada, a SP-Arte oferece, neste ano, algumas opções de visitas guiadas. Os oito roteiros são gratuitos, saem a cada meia hora, têm duração de uma hora e acontecem em todos os dias do festival. Quem quiser participar precisa chegar ao balcão de visitas guiadas (no primeiro andar do Pavilhão) com 15 minutos de antecedência.

Confira a programação:

  • Arte Contemporânea Brasileira (décadas de 1970 e 1980), de 12 a 14 de abril às 13h30 e às 17h30, e no dia 15 de abril às 12h e às 16h.
  • Arte Contemporânea Brasileira (décadas de 1980 e 1990), de 12 a 14 de abril às 15h30, e no dia 15 de abril às 14h.
  • Arte Contemporânea Brasileira (a partir de 2000), de 12 a 14 de abril às 17h e às 19h, e no dia 15 de abril às 15h30 e às 17h30.
  • Modernismo e Concretismo, de 12 de abril a 14 de abril às 14h e às 18h, e no dia 15 de abril às 12h30 e às 16h30.
  • Arte Contemporânea Internacional, de 12 a 14 de abril às 14h30 e às 18h30, e no dia 15 de abril às 13h e às 17h.
  • Mulheres na arte, de 12 a 14 de abril às 15h, e no dia 15 de abril às 13h30.
  • Setor Repertório, de 12 a 14 de abril às 16h30, e no dia 15 de abril às 15h.
  • Setor Solo, de 12 a 14 de abril às 16h, e no dia 15 de abril, às 14h30.

Nos dias 12, 13 e 14 de abril, Paula Garcia, curadora do setor Performance, fará uma visita guiada pelo espaço às 18h. Para participar, faça RSVP pelo visitas@sp-arte.com.

Design e arquitetura

No terceiro andar do Pavilhão, o setor Design conta com 33 galerias e criadores. O espaço é dividido também com quatro projetos especiais.

Uma exposição de carrinhos de chá relembra 90 anos de história. As 16 peças foram assinadas por profissionais brasileiros reconhecidos do design e da arquitetura.

Com sua primeira edição em outubro do ano passado, a Semana Criativa de Tiradentes ganhou um espaço para expor as peças criadas durante o festival de design e artesanato por designers como Paulo Alves, André Bastos, Guilherme Leite Ribeiro e Maria Fernanda Paes de Barros em conjunto com os artesãos Expedito Jonas de Jesus Maria Conceição de Paula, Rondinelly dos Santos, Lilia Fonseca e Wagner Trindade.

Algumas das peças que venceram o Prêmio de Design MCB, organizado pelo Museu da Casa Brasileira há 31 anos, compõem uma mostra. Sergio Rodrigues, Paulo Mendes da Rocha, Reno Bonzon e Jader Almeida e mais assinam o mobiliário.

Também no terceiro andar do Pavilhão, o Projetos de Arquitetos reúne peças assinadas por Bel Lobo, Fernanda Marques, Kiko Salomão, Leo Romano, Ruy Ohtake e o escritório Triptyque.

Galerias estreantes

Participando do festival pela primeira vez, Oma, de São Bernardo do Campo; , de Vitória; Gaby Indio da Costa, do Rio de Janeiro; e Cassia Bomeny, também do Rio de Janeiro; levam obras ao Pavilhão da Bienal.

Do exterior, marcam presença Balcony e Uma Lulik_, ambas de Lisboa; Barro, de Buenos Aires; Blank, de Cape Town; Cayón, de Madri; Fragment, de Moscou; Isabel Aninat, de Santiago; Licenciado e Parque, ambas da Cidade do México; Privateview, de Torino; Rocio Santa Cruz, de Barcelona; Roman Road, de Londres; e Zucker Art Books, de Nova York.

Carrinho de Lina Bo Bardi, de 1948. Carrinho de Lina Bo Bardi, de 1948.

Carrinho de Lina Bo Bardi, de 1948. (Fernando Laszlo/SP-Arte)

Abertura de exposições e projetos

Paralela à SP-Arte, a agenda cultural conta com três lançamentos nesta semana. No dia 12, das 10 às 13h, a galeria Fortes D’Aloia & Gabriel inaugura exposições individuais de Rodrigo Matheus e Sara Ramo, além do lançamento do livro de Rodrigo Matheus. Já no dia 14, das 12 às 18h, a Luciana Brito Galeria inaugura a exposição individual “Linha do tempo”, da artista argentina Liliana Porter. No mesmo dia, das 16h30 às 20h, o espaço Auroras promove três eventos: uma conversa com o curador Paulo Miyada, a abertura do projeto Gokula Stoffel e a performance de Renata Versiani.

Ateliês

Também simultâneos ao festival, seis ateliês (totalizando 30 artistas) ficarão de portas abertas entre os dias 12 e 15 de abril. Confira:

O Projeto Fidalga, que reúne o trabalho de Ding Musa, Felipe Cama, Leka Mendes, Luis Telles, Otavio Zani e Misha Bies Golas, recebe a coletiva Desde o apego: Memória e gesto no dia 14 das 17 às 21h.

Oito artistas – Ivan Padovani, Maria Fernanda Lopes, Maria Luiza Mazzetto, Ricardo Barcellos, Silvia Jabali, Susi Miranda Azis, Thais Stoklos e Walter Costa – dividem o espaço da Vão, que está com a coletiva O vão, o trem e a plataforma. Abre no dia 14 das 17 às 21h.

Na Fonte, os ateliês dos artistas e diretores Marcelo Amorim, Nino Cais e Simone Morais. Nomes como Charlotte Marchand, Eduardo Araújo Silva, Adriano Franchini, Dani Spadotto, Flora Leite, Manuela Costalima e Rafael Santacosta ficam abertos no dia 14 das 17 às 21h. A exposição coletiva Lava! está em cartaz.

Carla Chaim, Julia Kater, Brisa Noronha, Luisa Callegari e Raylander Mártis abrem seus ateliês, na Hermes Artes Visuais, no dia 14 das 17 às 21h. Participante do setor Repertório da SP-Arte, Arnaldo de Melo deixa as portas abertas no dia 14 das 10 às 16h. O ponto de encontro é a Rua Roberto Simonsen, 108. À beira da Represa de Guarapiranga, o ateliê de Paulo Von Poser também abre no dia 14, às 10h. O ponto de encontro é o Pavilhão da Bienal – as inscrições são realizadas pelo contato@vervegaleria.com.

Espaço da Herman Miller na SP-Arte 2018. Espaço da Herman Miller.

Espaço da Herman Miller. (Danilo Koshimizu/Herman Miller)

Destaques

No dia 15 de abril, para encerrar a feira, um after party foi organizado pela PROTOTYP&, de Felipe Protti, e pela VISTA. O coquetel acontecerá dentro do Parque do Ibirapuera, no próprio VISTA, complexo gastronômico instalado no topo do MAC – Museu de Arte Contemporânea. O evento também marca a inauguração oficial do espaço – Felipe assina todo o projeto de design e arquitetura.

Participando pela primeira vez da SP-Arte, a Herman Miller apresenta um espaço assinado pelo escritório Todos Arquitetura, de Maurício Arruda, Lais Delbianco e Fabio Mota. Ali, algumas das peças da marca serão exibidas, como a Eames Lounge Chair, as luminárias Nelson Bubble e a poltrona Wireframe. Uma tela do designer Alexander Girard completa o ambiente.

O festival também marca o lançamento da primeira edição de Ai Weiwei no Brasil. No espaço da galeria ArtEEdições, a peça de porcelana pintada a mão foi criada após uma viagem do artista chinês por diferentes lugares do país.

O artista e fotógrafo Kiolo estreia na SP-Arte nesta edição, representado pela Gabriel Wickbold Studio & Gallery. Um sistema de rodízio exibirá cinco obras, com curadoria assinada pelo próprio Gabriel. Enquanto uma está exposta, as outras quatro integrarão a exposição solo Geometrias insuspeitas do cotidiano.

A Herança Cultural Design Art Gallery, do galerista Pablo Casas, lança Código Aberto, duplas de poltronas e pufes criados por Flavio Franco, Guilherme Wentz, Rodrigo Ohtake, Ronald Sasson e Zanini de Zanine. As peças serão vendidas em conjunto misturando o trabalho dos designers.

Também participando pela primeira vez, a St. James estreia no estande do designer Brunno Jahara, que assina itens da linha Stacks, composta por 12 acessórios.

Gastronomia

Na SP-Arte, a gastronomia fica por conta de nove marcas e restaurantes: Seen, Santinho, Le Pain Quotidien, Illy, Bacio di Latte, Green People, Stella Artois e Perrier Jouët, e Minalba.

 

SP-Arte/2018

Quando: de 12 a 15 de abril, das 13h às 21h e, no domingo, das 11 às 19h.

Onde: Pavilhão da Bienal – Parque Ibirapuera, Portão 3

Os ingressos custam 45 reais, entrada geral, e 20 reais a meia. O Vale-Cultura pode ser utilizado para abater 50% do valor do ingresso. Crianças de até 10 anos não pagam.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s