4 cantinhos charmosos que vale a pena conhecer em SP

Visitamos quatro lugares em São Paulo que, além do décor encantador, permitem conhecer a fundo o universo dos chás, queijos, azeites e cafés. Confira!

1. Ó-Chá: Mistura Equilibrada

Os chás da carta vêm de longe: Marrocos, China, Japão e Índia, entre outros países. Já os biscoitos são feitos na própria cozinha. (Victor Affaro/Revista CASA CLAUDIA)

Imagine um bistrô francês com toques chineses e você terá a receita do Ó-Chá, um simpático espaço dedicado à bebida que batiza o local. Aqui, não há um menu-degustação formal, mas uma extensa carta com 75 combinações feitas de folhas, especiarias e frutas (como o famoso chá verde chinês Lung Ching, cultivado na província de Zhejiang). O grande barato da casa está na harmonização: os atendentes indicam que tipo de chá combina melhor com os deliciosos brunchs, almoços e sobremesas que saem da cozinha – a ideia é proporcionar a melhor experiência sensorial possível. Monica Costa, dona do lugar, viveu anos em Macau, na China, e trouxe um pouco da tradição oriental para cá. “Aprendi a beber chá todos os dias, o dia todo, sem hora certa. Faz parte do meu cotidiano”, afirma.

R. Aspicuelta, 194, Vila Madalena, www.bitroocha.com.br

2. Mestre Queijeiro: Variedades do Brasil

De cima para baixo: queijos Azul do Bosque, Brie da Serra das Antas, Coração da Serra, Ferão e Canastra Real. (Victor Affaro/Revista CASA CLAUDIA)

Nesta mercearia, uma degustação fechada é oferecida com hora marcada para até dez pessoas, com cinco tipos de queijos, pães, antepastos e doces caseiros – sai por 85 reais, por pessoa (se quiser incluir a harmonização de vinhos e cervejas, ela é paga à parte). Quem chega para participar dessa experiência sente de cara os aromas dos produtos: o cardápio do lugar lista o total de 50 tipos de queijos, dispostos numa geladeira aberta ou então numa câmara refrigerada especial para a maturação no local. Caso a ideia seja levar alguns pacotes para casa, a quantidade e a variedade do cardápio podem causar dúvida, mas basta pedir a opinião do proprietário, Bruno Cabral, para ouvir uma explicação detalhada sobre a origem e os sabores dos queijos, todos artesanais. “Temos 30 fornecedores nacionais, escolhidos a dedo por mim”, diz.

R. Simão Álvares, 112, Pinheiros, www.mestrequeijeiro.com.br 

3. Rua do Alecrim: O Azeite é a Estrela

No empório, os donos indicam qual azeite usar em cada prato ou mesmo para comer com pão. (Victor Affaro/Revista CASA CLAUDIA)

Não, os azeites de oliva não são todos iguais. Tanto que o casal Iris Jönck e Arnaldo Conin resolveu abrir um espaço dedicado a eles em São Paulo. No empório Rua do Alecrim, é possível encontrar até 80 rótulos, vindos principalmente de produtores brasileiros e ibéricos, que se destacam pela variedade. “Começamos com um e-commerce de temperos e, aos poucos, vimos crescer o interesse pelos óleos”, explica Arnaldo. Com o sucesso, logo veio a loja física, onde dá para degustar alguns tipos de azeite e aprender sobre suas propriedades em uma visita informal. Além da prova direcionada, a casa oferece eventos de culinária e cursos esporádicos, abertos ao público ou criados especialmente para grupos fechados.

R. Normandia, 12, Moema, www.ruadoalecrim.com.br 

4. Coffee Lab: Uma Aula sobre Café

Neste canto ficam os produtos nacionais, elaborados por pequenos fornecedores de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul, que cultivam diferentes variedades de oliveiras. (Victor Affaro/Revista CASA CLAUDIA)

Aqui, um café nunca será um simples cafezinho – embora o expresso tradicional conste no cardápio. Isso porque o conceito do Coffee Lab vai além de uma cafeteria. Quem vem ao espaço pode descobrir como o método de torra dos grãos (feita na casa) interfere no sabor da bebida. “Oferecemos nove opções de degustação, que chamamos de ‘rituais’. Em cada uma delas, é possível aprender o que consideramos ser um café de alta qualidade”, explica João Perez, gerente comercial do lugar. Se você pedir o Ritual 6, por exemplo, irá comparar o mesmo tipo de café feito em dois métodos de coagem: Aeropress (uma prensa manual que extrai a bebida por meio da pressão do ar) e Clever (um filtro que permite controlar o tempo de contato da água com o pó). Além de ensinar os clientes a dar um upgrade no cafezinho de casa, o local também é uma escola de baristas profssionais.

R. Fradique Coutinho, 1340, Vila Madalena, www.coffeelab.com.br


(Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s