4 endereços em SP onde tomar café é um prazer garantido

Além das delícias do cardápio, estes espaços são visualmente inspiradores

1. Café Bienal: receitas saudáveis em prédio histórico

À esquerda, o mobiliário da Ovo convive com os pôsteres da Bienal de Arte de São Paulo (ao fundo). À direita, bolo de cenoura com cacau, bolo salgado de azeitonas, tartine com geleia de frutas vermelhas e requeijão artesanal, café expresso, pão de queijo com chia e linhaça e sucos.

À esquerda, o mobiliário da Ovo convive com os pôsteres da Bienal de Arte de São Paulo (ao fundo). À direita, bolo de cenoura com cacau, bolo salgado de azeitonas, tartine com geleia de frutas vermelhas e requeijão artesanal, café expresso, pão de queijo com chia e linhaça e sucos. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Operado pela PAO: Padaria Artesanal Orgânica, dos irmãos Rafael e Bruno Rosa, o local faz parte de uma série de iniciativas com o objetivo de ampliar o contato do público com o edifício de Oscar Niemeyer. “Como se trata de um imóvel tombado, tomamos o máximo de cuidado para respeitar suas formas”, explica o arquiteto José Rollemberg, autor do projeto com Denis Ferri, acompanhados pela equipe da Bienal. O café, com mobiliário assinado pela Ovo, ocupa um corredor que atravessa a largura do prédio e avança para uma varanda externa. Aberto todos os dias a partir das 9 horas, tem entre seus hits a tapioca com ovo mexido, o bolo de cenoura com cacau e os sucos especiais.

Pavilhão da Bienal, Parque do Ibirapuera, portão 3, tel. (11) 5082-2709.

Em cima, o Café Bienal se estende por um corredor com mesas de vários formatos, como a retangular Voo e a redonda Carretel (Ovo). Embaixo e à esquerda, o espaço visto pelo lado de fora. À direita, para a varanda, cercada pelo verde do parque, Gerson de Oliveira e Luciana Martins, os designers da Ovo, criaram versões de área externa da cadeira 3D e da mesa Carretel.

Em cima, o Café Bienal se estende por um corredor com mesas de vários formatos, como a retangular Voo e a redonda Carretel (Ovo). Embaixo e à esquerda, o espaço visto pelo lado de fora. À direita, para a varanda, cercada pelo verde do parque, Gerson de Oliveira e Luciana Martins, os designers da Ovo, criaram versões de área externa da cadeira 3D e da mesa Carretel. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

2. HM Food Café: brunch disputado aos sábados

À esquerda, a mesa alta e os bancos foram desenhados por Murilo Nogueira, um dos sócios do local. Hanger do Studio Drê Magalhães. À direita, tostada de abacate com coalhada, rabanete e ovos mexidos, chá de hibisco e laranja e panqueca sem glúten de banana com nozes e melaço.

À esquerda, a mesa alta e os bancos foram desenhados por Murilo Nogueira, um dos sócios do local. Hanger do Studio Drê Magalhães. À direita, tostada de abacate com coalhada, rabanete e ovos mexidos, chá de hibisco e laranja e panqueca sem glúten de banana com nozes e melaço. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Moderno e descolado, esse café-restaurante fica na entrada do Studio Dama, um espaço compartilhado em Pinheiros, que abriga também um salão de cabeleireiro e uma loja de customização de motos. Idealizado pelos sócios Hesli Carvalho e Murilo Nogueira – que, por ser arquiteto, também assina o projeto –, o HM Food tem no cardápio várias delícias para começar bem o dia: paninis, pão de queijo (feito com queijo meia cura mineiro) e muffin de banana com doce de leite. No sábado, a partir das 10 horas, acontece um brunch com drinques e cardápio especial, em que a tostada de abacate com coalhada, rabanete e ovos mexidos está entre os destaques.

Rua Ferreira de Araújo, 1056, tel. (11) 3034-5319.

Em cima, o balcão comunitário é um dos lugares mais concorridos do HM Food. Ao fundo, luminária de madeira de reúso. Embaixo e à esquerda, fachada do café-restaurante: o arquiteto transformou a antiga garagem do espaço em um endereço gastronômico. À direita, na vitrine, ficam expostas sobremesas, como o muffin de banana com doce de leite.

Em cima, o balcão comunitário é um dos lugares mais concorridos do HM Food. Ao fundo, luminária de madeira de reúso. Embaixo e à esquerda, fachada do café-restaurante: o arquiteto transformou a antiga garagem do espaço em um endereço gastronômico. À direita, na vitrine, ficam expostas sobremesas, como o muffin de banana com doce de leite. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

3. Cafeteria Jardin: cappuccinos em meio ao verde

À esquerda, a janelinha para a rua: as plantas estão todas à venda. À direita, duas especialidades da casa: o cappuccino e o bolo de laranja com pedacinhos de chocolate meio amargo.

À esquerda, a janelinha para a rua: as plantas estão todas à venda. À direita, duas especialidades da casa: o cappuccino e o bolo de laranja com pedacinhos de chocolate meio amargo. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

A loja de plantas do casal Ina Amorozo e Jean Manuel nasceu primeiro, há dois anos, e a cafeteria há menos de um, quando o imóvel ao lado ficou vago. Mas a simbiose entre os espaços foi tão grande que hoje tudo parece uma coisa só. Os próprios donos assinam a decoração. “Compramos pedaços de madeira clara e fizemos bancos, mesas e balcões”, conta Ina. Conforme os vasos são vendidos e repostos, o ambiente muda de visual. O jeito de casa de vó segue nas receitas caseiras do menu, como o wrap quente de romeu e julieta, o brigadeiro de churros e a empada de gorgonzola. Aviso: o Jardin é uma boa opção para quem acorda tarde, pois só abre a partir do meio-dia.

Rua General Jardim, 494, tel. (11) 3151-3789.

Em cima, no salão, uma parte das plantas fica presa no teto, diretamente no trilho das luminárias. Os móveis de madeira clara foram feitos pelo casal de proprietários. Embaixo e à esquerda, a fachada, no térreo de um predinho antigo, com algumas mesas na varanda. À direita, canecas de inox com suculentas: difícil resistir.

Em cima, no salão, uma parte das plantas fica presa no teto, diretamente no trilho das luminárias. Os móveis de madeira clara foram feitos pelo casal de proprietários. Embaixo e à esquerda, a fachada, no térreo de um predinho antigo, com algumas mesas na varanda. À direita, canecas de inox com suculentas: difícil resistir. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

4. Padaria da Esquina: Portugal contemporâneo

À esquerda, os arquitetos Sofa Duarte e João Mota projetaram as mesas de pínus e metal, que preenchem o salão. Cadeiras da Ato Furniture. À direita, o menu Évora, com frios, ovos mexidos, folheado, fruta do dia, geleia, manteiga, suco e dois pães de água.

À esquerda, os arquitetos Sofa Duarte e João Mota projetaram as mesas de pínus e metal, que preenchem o salão. Cadeiras da Ato Furniture. À direita, o menu Évora, com frios, ovos mexidos, folheado, fruta do dia, geleia, manteiga, suco e dois pães de água. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Comandado pelo chef português Vitor Sobral, o endereço, nos Jardins, oferece o melhor da panificação e da confeitaria da “terrinha”. Para o café da manhã, servido todos os dias a partir das 7 horas, uma boa pedida são as diversas opções de menus fechados, como o Évora. Embora o endereço seja voltado para receitas tradicionais, a arquitetura, assinada pela dupla portuguesa Sofa Duarte e João Mota (com a coautoria do brasileiro Herbert Holdfeder, do Offce 134), vai na direção oposta. Bem contemporâneo, é inspirado nas novas padarias lisboetas. “Os ladrilhos hidráulicos na fachada fazem referência aos azulejos portugueses, mas escolhemos uma padronagem P&B, que lembra as calçadas paulistanas”, conta Edrey Momo, um dos sócios.

Alameda Campinas, 1630, tel. (11) 2387-0149.

Em cima, na área central da Padaria da Esquina, destaque para a estante expositora desenhada pelo arquiteto Herbert Holdfeder. Embaixo e à esquerda, em formato de caixote de concreto, a fachada recebeu ladrilho hidráulico com padronagem geométrica. À direita, o deque na lateral da construção acomoda mesinhas com vista para o jardim vertical.

Em cima, na área central da Padaria da Esquina, destaque para a estante expositora desenhada pelo arquiteto Herbert Holdfeder. Embaixo e à esquerda, em formato de caixote de concreto, a fachada recebeu ladrilho hidráulico com padronagem geométrica. À direita, o deque na lateral da construção acomoda mesinhas com vista para o jardim vertical. (Renato Navarro/Revista CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s