Estes 4 escritórios descolados roubam a cena em São Paulo

Nestas quatro empresas, publicadas em CASA CLAUDIA de outubro, a arquitetura de interiores colabora para uma rotina mais descontraída, afinada com os novos jeitos de trabalhar

1. Mercado Livre: acolhedor, apesar do tamanho

01-estes-quatro-escritorios-descolados-roubam-cena-sao-paulo-regional-sp-casa-claudia-outubro

 (/)

Os 33 mil m² do terreno não assustaram Sérgio Athié (abaixo) e Ivo Wohnrath, do escritório Athié Wohnrath. Pelo contrário: o porte da obra abriu inúmeras possibilidades de criação. “Para nós, foi como pintar uma tela em branco”, diz Sérgio, que, além do sócio, teve a parceria do estúdio argentino EEI no projeto. Batizada Melicidade, a sede do negócio, que trabalha com compra e venda online de produtos variados, oferece mimos como academia, sala de massagem, restaurante e salão de jogos aos funcionários. A decoração mistura influências. “O espaço segue a linha industrial, mas equilibrada com áreas modernas”, fala o arquiteto.

02-estes-quatro-escritorios-descolados-roubam-cena-sao-paulo-regional-sp-casa-claudia-outubro

 (/)

2. Wieden + Kennedy: toque divertido

03-estes-quatro-escritorios-descolados-roubam-cena-sao-paulo-regional-sp-casa-claudia-outubro

 (/)

Quando foram convidados a projetar a sede da agência de comunicação, os arquitetos do FGMF já estavam bem familiarizados com o prédio – o Edifício Corujas –, também criado por eles. “Aqui temos vários escritórios divididos em blocos. Como a W+K ocupa um bloco inteiro, e mais um dúplex do outro lado, bolamos passagens que integram essas áreas”, explica Fernando Forte (abaixo, no centro), sócio de Lourenço Gimenes (à esq.) e Rodrigo Marcondes Ferraz. Os executivos ainda pediram que a empresa tivesse um décor despojado. Por isso os arquitetos apostaram em móveis de estilo industrial e buscaram peças em antiquários, o que deixou o escritório com jeitão de casa.

04-estes-quatro-escritorios-descolados-roubam-cena-sao-paulo-regional-sp-casa-claudia-outubro

 (/)

3. Linkedin: estilo bem paulistano

05-estes-quatro-escritorios-descolados-roubam-cena-sao-paulo-regional-sp-casa-claudia-outubro

 (/)

Na encomenda do projeto, veio o pedido: a sede da rede social de negócios deveria refletir o estilo urbano de São Paulo. Missão aceita pelos arquitetos Antonio Mantovani Neto e Dante Della Manna, que,para isso, apostaram na variedade de materiais e texturas. “É o que vemos na cidade”, explica Antonio.O espaço de relax (abaixo) mais parece um parque – tem balanços e carpete verde no piso, como se fosse grama. Suprassumo hype, uma mesa de pingue-pongue também entrou no pacote, que inclui ainda lambe-lambes, biblioteca e um refeitório despojado. “Acho natural que as empresas, cada vez mais, queiram ver os funcionários felizes no dia a dia, e isso inclui se sentir confortável”, afirma o arquiteto.

06-estes-quatro-escritorios-descolados-roubam-cena-sao-paulo-regional-sp-casa-claudia-outubro

 (/)

4. Rock Comunicação: cheia de estilo

07-estes-quatro-escritorios-descolados-roubam-cena-sao-paulo-regional-sp-casa-claudia-outubro

 (/)

Ousadia é a palavra preferida dos sócios da agência especializada em live marketing. E foi com base nesse conceito que eles chamaram Marcos Paulo Caldeira e Mila Strauss (abaixo), do MM18 Arquitetura, para planejar o escritório, instalado numa casa antiga em Pinheiros. Com paredes demolidas e estruturas metálicas à mostra, o lugar ganhou esse jeito de galpão informal – marca registrada da dupla. “Também quisemos facilitar o vaivém interno e conectar as áreas de trabalho”, conta Mila. Os móveis, a iluminação e parte do décor foram inspirados em danceterias, outra área de expertise dos arquitetos, fazendo uma fusão de duas linguagens: a moderna e a industrial.

08-estes-quatro-escritorios-descolados-roubam-cena-sao-paulo-regional-sp-casa-claudia-outubro

 (/)

banner_gotoshop_casa

 (/)

Clique e conheça a loja CASA CLAUDIA! 

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.