O artista sergipano Véio abre mostra individual na galeria Estação

A galeria Estação celebra 10 anos de existência com exposição e lançamento do livro Cícero Alves dos Santos: Véio.

Vilma Eid, proprietária da galeria Estação, escolheu o artista Cícero Alves dos Santos – o Véio nascido em Nossa Senhora da Glória, em Sergipe – para comemorar os seus 10 anos de existência. Pioneira no trabalho que procura diluir a fronteira que separa artistas de raiz popular do cenário da arte contemporânea, Vilma está também empenhada na divulgação desse trabalho preciso. A mostra do artista Véio inclui o lançamento do livro editado pela WMF Martins Fontes e é assinado pelo importante crítico de arte Rodrigo Naves. 

O momento não poderia ser mais oportuno, pois Véio acaba de voltar de Paris, depois de participar da exposição comemorativa dos 30 anos da Fundação Cartier, ao lado de outros brasileiros, como Adriana Varejão,  Beatriz Milhazes e mais dois artistas representados pela Galeria Estação, como Zé Bezerra e Nino.

Com cerca de 45 trabalhos, a exposição Cícero Alves do Santos: Véio reúne obras recentes, realizadas entre 2013 e 2014, em grandes e pequenas dimensões. Nas peças maiores, troncos, galhos e raízes têm uma presença decisiva e Véio intervém apenas pontualmente, esculpindo ou pintando, para tornar mais explícitas as figuras e formas que vislumbra naqueles elementos naturais, que ele chama de “madeiras abertas”.

E conforme aponta Naves, “como as cores não têm grande importância na definição formal das obras, elas ajudam sobretudo a realçar a irregularidade dos volumes que recobrem, sem ocultar sua origem orgânica e vegetal.”

Autodidata, Véio recebeu o apelido aos 5 anos pois sempre se colocava entre as conversas dos mais velhos. E desde essa época começou a executar suas primeiras peças em cera de abelha. Admirador da cultura popular, Véio sempre teve relação intensa com seu meio. E foi motivado a criar ao lado de seu ateliê – localizado no interior de Sergipe – o “Museu do Sertão”. Muitos dos objetos recolhidos testemunham o embate do homem do campo com a natureza. São chapéus de couro, utensílios domésticos, máquinas rústicas, roupas e acessórios que fazem parte da vida do sertanejo.

Exposição: Cícero Alves dos Santos: Véio

Abertura:  29 de outubro, às 19h

Até 20 de dezembro de 2014

de segunda a sexta, das 11h às 19h, sábados das 11h às 15h – entrada franca.

Galeria Estação

Rua Ferreira de Araújo, 625 – Pinheiros SP

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s