Visita guiada: casa rústica em Trancoso

O designer holandês Wilbert Dias quis oferecer uma experiência com a natureza para seus hóspedes nesta casa que traz elementos de uma cabana de pescador

Esta casinha rústica traduz bem o jeito despretensioso típico do vilarejo baiano, onde o chinelo de dedo é o calçado oficial. Para começar, ela fica no Quadrado – a famosa praça no alto da falésia, onde nasceram as primeiras construções dos nativos e que hoje concentra a badalação de Trancoso. Além disso, a casa, de 80  m², pertencia a dona Frozina – uma das figuras mais folclóricas do vilarejo, conhecida por sua alegria e seu espírito jovem. 

Luminária produzida por índios e uma varanda com mesas de pequi

 (/)

Isso bastou para que o designer holandês Wilbert Das, o dono do hotel Uxua, se interessasse pelo imóvel e o transformasse numa hospedagem especial, só oferecida a clientes fiéis. “As construções daqui têm uma estética própria, que mistura as influências rural, indígena e hippie. Quis preservar essa essência”, diz ele. Assim, o jeito de cabana de pescador permaneceu. 

Caminho entre as árvores para chegar até a aconchegante casa

 (/)

Na decoração,Wilbert usou objetos feitos por artesãos do pedaço e móveis criados pelo designer italiano Mauro Zolin, que participa do programa Artista em Casa, promovido pelo Uxua. Há ainda um espaçoso pátio, onde é possível fazer refeições, e um banheiro aberto para a área externa, com uma convidativa banheira de cimento queimado. 

Detalhes da casa, onde é possível sentir o clima de cabana de pescador

 (/)

Wilbert também se preocupou em reaproveitar materiais usados em novas funções, como um velho barco de pesca no quarto, que faz as vezes de armário. Assim, o clima de simplicidade toma conta dos espaços e reflete a experiência que o dono do hotel propõe a seus hóspedes. “Trancoso não é um lugar para se mostrar, mas para se misturar à população local. O mais importante é curtir o contato com a natureza ao redor”, afirma. 

Quarto com um barco adaptado para um armário

 (/)

A cozinha que mistura elementos rústicos com industriais

 (/)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s