Diébedo Francis Kéré está entre os 2017 Prince Claus Laureates

O arquiteto africano é um dos sete selecionados – o cineasta brasileiro Vincent Carelli e a designer chinesa Ma Jun são os dois principais deste ano

 (Erik Jan Owerkerk/Serpentine Galleries)

Depois de assinar o Serpentine Pavillion em junho, Diébédo Francis Kéré foi anunciado, no último dia 6, laureado pelo The Prince Claus Fund for Culture and Development.

O arquiteto africano, nascido em Burkina Faso é um dos sete profissionais selecionados pelo fundo holandês que, fundado em 1996, apoia iniciativas em áreas que não têm acesso livre à expressão cultural, especialmente na África, Ásia, América Latina e Caribe.

Serpentine Pavillion de Diébédo Francis Kéré.

Serpentine Pavillion de Diébédo Francis Kéré. (Laurian Ghinitoiu/ArchDaily)

“Diébédo Francis Kéré é um arquiteto que cria edifícios de grande beleza que atendem às necessidades das pessoas. Ele mostra que a arquitetura pode ser uma profissão generosa dedicada ao aumento do bem estar das pessoas. Seus projetos são baseados em princípios ecológicos e sustentáveis. Ele usa materiais locais e combina tradições de construção local com técnicas de construção contemporâneas. Kéré se envolve profundamente com a comunidade local para criar um senso de orgulho e propriedade em seus projetos. Ele explica seus planos e métodos, treina pessoas locais em técnicas de construção modernas e as emprega no processo de construção, por isso estão dispostos a manter as estruturas e a ter habilidades para realizar um desenvolvimento por conta própria”, explicou o site oficial.

Escola em Burkina Faso, projetada por Kéré.

Escola em Burkina Faso, projetada por Kéré. (Erik Jan Owerkerk/ArchDaily)

Neste ano, os dois laureados principais são o cineasta brasileiro Vincent Carelli e a designer e ambientalista chinesa Ma Jun. Eles receberão o Principal Prince Claus Award, do príncipe Constantino dos Países Baixos, no dia 6 de dezembro.

Os outros cinco prêmios pertencem à Kéré, ao cineasta Khadija Al-Salami, do Iémen; ao coletivo de arte pública L’Art Rue, da Tunísia; à cientista e ambientalista colombiana Brigitte Baptiste; e ao artista visual indiano Amar Kanwar.

Projeto de Diébédo Francis Kéré.

Projeto de Diébédo Francis Kéré. (Kéré Architecture/ArchDaily)

Com formação em carpintaria na Alemanha, o arquiteto africano estudou arquitetura e engenharia na Technische Universität, em Berlim.

Fonte: ArchDaily

VEJA MAIS: Tapeçaria de Tomie Ohtake ganha nova versão após incêndio no Memorial da América Latina:

 (Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s