O inverno é o momento ideal para construir uma piscina

A estação tem condições climáticas mais favoráveis para a obra e, por conta da menor demanda por projetos com piscina, a construção pode ficar mais em conta

Detalhe da piscina com borda infinita em projeto da arquiteta Karina Korn

Detalhe da piscina com borda infinita em projeto da arquiteta Karina Korn (Celina Germer/Karina Korn Arquitetura)

Quem não sonha em ter uma piscina? Durante os dias de calor, ela acaba sendo o ponto de encontro das casas, promovendo momentos animados entre familiares e amigos. Mas, projetar e construir uma piscina leva tempo. O curioso é que no inverno a busca pela construção delas cai e essa baixa demanda acaba deixando os valores das piscinas, materiais e construção mais em conta. “Além do tempo de sobra até chegar o verão para a concepção e construção da estrutura arquitetônica, o inverno possui condições climáticas como tempo seco e menores chances de chuva, especialmente nas regiões sul e sudeste, que favorecem a rapidez da obra”, orienta Filipe Sisson, CEO da UNLIMITED Pool, empresa que fabrica e comercializa projetos exclusivos de piscinas. “Desde a etapa de curagem do concreto, caso a piscina seja executada nesse material, até a etapa de impermeabilização e assentamento dos revestimentos, é preciso ter um período sem chuvas para uma secagem rápida da argamassa e rejunte, alcançando a maior eficiência possível de proteção”, explica o arquiteto Pietro Terlizzi. Todos esses fatores indicam que o inverno é um momento bastante propício para a construção de piscinas.

A seguir, confira outras dicas do arquiteto Pietro Terlizzi e do especialista Filipe Sisson para levar em consideração na hora de planejar sua piscina.

Quais cuidados precisam ser tomados na hora de construir uma piscina?

Pietro Terlizzi: Se a piscina for construída no solo, é preciso garantir que a terra esteja bem compactada para receber a grande carga que a piscina terá após cheia. Esse cuidado deve ser ainda maior quando a piscina for posicionada acima do solo e suportada por alguma estrutura. As paredes da piscina também devem ser reforçadas devido à força horizontal que a água exerce. Por fim, a impermeabilização deve ser feita com todo cuidado – e com bons materiais e mão de obra. Isso porque se houver a necessidade de um reparo na impermeabilização após a instalação dos revestimentos, será necessário removê-lo por completo além de arcar com altos danos que o vazamento pode causar.

Filipe Sisson: A incidência ou orientação solar é, sem dúvida, o mais importante fator a ser levado em consideração, não só porque quem utiliza a piscina busca estar ao sol ou porque ele ajuda no aquecimento da mesma, mas também porque ele influencia no tratamento adequado quando os usuários optam pelo uso do cloro. O ideal é que esse cloro seja aplicado durante à noite e, com o amanhecer, o sol ajuda na evaporação de componentes prejudiciais à saúde. Também é importante avaliar que tipo de vegetação estará próxima à piscina. Árvores que podem atrapalhar a incidência do sol ou com folhas pequenas difíceis de serem retiradas da água, raízes que podem interferir na estrutura da piscina causando infiltrações, tudo deve ser analisado.

Como escolher o modelo ideal de piscina?

Pietro Terlizzi: O modelo ideal depende da necessidade, espaço disponível e a definição do uso. Pode ser em formato de raia, estreita, comprida e não muito profunda caso sua função seja para natação, ou pode ser orgânica e profunda caso tenha um trampolim, por exemplo. Pode ser também redonda, triangular, retangular… Não há regras! Há também os modelos de contemplação, chamados de espelho d’água, que nada mais é do que uma piscina extremamente rasa.

Filipe Sisson: É preciso analisar as vantagens e as desvantagens de cada uma. As piscinas de vinil são mais frágeis e têm um tempo de vida mais curto, outra desvantagem é que elas precisam ser enchidas rapidamente para evitar rugas e, além de não ser aconselhável esvaziar a piscina, materiais químicos em excesso podem corroer o material. Quem opta pelo vinil também precisa tomar cuidado para não entrar com objetos pontiagudos na piscina — eles podem perfurar o revestimento e causar vazamentos. Já as de alvenaria têm um custo superior, levam mais tempo para ficarem prontas e, por se tratar de uma construção, eventualmente o aparecimento de fissuras ou rachaduras pode acontecer. As piscinas de fibra apresentam importantes vantagens, como o preço e a durabilidade, pois geralmente contam com garantias longas. Por serem pré-fabricadas, elas têm instalação muito rápida.

Quanto de espaço geralmente é necessário para construir uma piscina?

Filipe Sisson: É necessário levar em conta o seu tamanho e reservar uma área de lazer no entorno. O terreno precisa ser plano e, de preferência, espaçoso. Para saber o tamanho do terreno necessário, é preciso multiplicar a área da piscina por dois. Por exemplo, uma piscina de 20 m² vai precisar de um terreno que tenha no mínimo 40 m².

Quais cuidados devem ser tomados após a construção?

Pietro Terlizzi: É preciso deixar a piscina sempre cheia para preservar o revestimento e o rejunte. De tempos em tempos, é aconselhável refazer os rejuntes, pois são importantes para manter a impermeabilização. A limpeza é fundamental para não entupir o sistema de circulação de água e não afetar as bombas e aquecedores. A higienização frequente da água da piscina é primordial para evitar possíveis criadouros de insetos. Em caso de casa com crianças e animais, uma tela protetora é sempre importante.

Qual a tendência em relação a piscinas no momento?

Pietro Terlizzi: Com o número cada vez maior de prédios nas grandes cidades, o número de piscinas em coberturas de edifícios, ou andares mais altos, tem crescido muito nos últimos anos. Com terrenos cada vez menores, essa opção de “elevar” os espaços comuns dos prédios do térreo para a cobertura tem sido muito utilizada. Nesses casos, é muito importante lembrar da questão estrutural dos prédios, já que o peso da piscina cheia é bem grande, além da questão de impermeabilização. A vantagem dessa localização elevada é a menor chance de sombras nas piscinas e uma vistas privilegiadas.

Filipe Sisson: Para quem procura um efeito visual diferente, a piscina de borda infinita é uma ótima opção. Ela dá a ilusão de que a água se estende até o horizonte. Este tipo funciona muito bem em locais mais elevados, como coberturas ou terrenos voltados para declives. A piscina de vidro também está se tornando objeto de desejo. Neste modelo, é possível ver a água a partir da transparência que fica exposta para uma área externa. A leveza do material e o movimento da água dão um aspecto agradável e bastante interessante aos ambientes, ainda mais quando há uma iluminação especial do lado de dentro.

 

Siga CASA CLAUDIA no Instagram

 (Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s