Mulheres na arquitetura: o feminismo de Carmen Portinho

Ela foi a terceira mulher a se formar engenheira no país e a primeira a obter o título de urbanista

Carmen Portinho

 (Carmen Portinho/Divulgação)

Na série Mulheres na Arquitetura, vamos colocar em pauta mulheres que possuem importantes feitos arquitetônicos no Brasil e no mundo. Acompanhe aqui.

Carmen Portinho nasceu em Corumbá, Mato Grosso do Sul, no dia 26 de janeiro de 1903. Era filha de uma boliviana com um gaúcho e, logo na infância, mudou-se com os pais e outros nove irmãos para o Rio de Janeiro. Ela foi a primeira mulher no Brasil a obter o título de urbanista e militou fervorosamente em defesa do sufrágio feminino, das causas feministas e do reconhecimento profissional das mulheres.

Em 1926, formou-se em Engenharia Civil na Escola Politécnica da Universidade do Brasil sendo a terceira mulher a se formar engenheira no país. Um ano antes, começou a dar aulas no Colégio Pedro II. O fato de uma mulher ministrar aulas num internato masculino foi considerado um escândalo. O governo tentou impedi-la, sem sucesso.

Nesta época, seu pai havia falecido. Com o pensamento de que a emancipação econômica da mulher é a base da sua emancipação social e política, montou uma lojinha para que suas irmãs pudessem trabalhar com datilografia. Carmen também aconselhava às mulheres que não mudassem o nome ao se casar, em atitude de independência e resistência. No mesmo ano em que se formou, ingressou na prefeitura do Rio de Janeiro, na época Distrito Federal do Brasil, na diretoria de Obras e Viação.

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro/Divulgação)

Ao longo de sua vida e carreira, sempre trabalhou para impulsionar a independência feminina. Em 1930, criou a União Universitária Feminina. Em 1936, ingressou na Universidade do Distrito Federal no curso de pós-graduação em urbanismo. Em 1937, fundou a Associação Brasileira de Engenheiras e Arquitetas (ABEA), para incentivar mulheres formadas a ingressar no mercado de trabalho. Em 1939, obteve o título de urbanismo na Universidade do Distrito Federal, sendo a primeira mulher no Brasil a conquistar o feito.

Após a formação, recebeu uma bolsa do Conselho Britânico para estagiar junto às comissões de reconstrução e remodelação das cidades inglesas destruídas pela guerra. A viagem durou 24 dias de navio. Em 1952, assumiu a diretoria executiva adjunta do Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro, instalado provisoriamente no Edifício do MEC. Permaneceu no cargo por mais de 15 anos. Em 1954, chefiou as obras de engenharia civil da construção da nova sede do MAM, no aterro da Gloria.

Conjunto Habitacional Pedregulho RJ Conjunto Habitacional Pedregulho, em São Cristóvão (RJ)

Conjunto Habitacional Pedregulho, em São Cristóvão (RJ) (Reprodução/ArchDaily)

Na década de 1950 foi responsável pela construção do conjunto residencial Pedregulho, em São Cristóvão, zona norte do RJ. Foi ela quem, inclusive, introduziu o conceito de habitação popular no Brasil e propôs ao prefeito a criação de um Departamento de Habitação Popular, sendo nomeada diretora. Affonso Eduardo Reidy, seu companheiro, é o arquiteto autor do projeto do residencial.

Em 1966, foi convidada pelo então governador Negrão de Lima, para ser diretora da Escola Superior de Desenho Industrial – Esdi – a primeira escola de desenho industrial da América Latina. Por duas décadas, Carmen Portinho dirigiu a escola. Posteriormente, a Esdi foi incorporada à Universidade Estadual do Rio de Janeiro, onde ela trabalhou até aos 96 anos.

Faleceu no dia 25 de junho de 2001, aos 98 anos.

Conjunto Habitacional Pedregulho RJ Conjunto Habitacional Pedregulho, em São Cristóvão (RJ)

Conjunto Habitacional Pedregulho, em São Cristóvão (RJ) (Daniele Reis/Divulgação)

Obra

Atuou na elaboração e coordenação do projeto estrutural do Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro (RJ)

​Atuou na elaboração e coordenação do projeto estrutural do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (RJ)

Construção do conjunto residencial Pedregulho, em São Cristóvão, Rio de Janeiro (RJ)

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s