Wheelwright Prize 2017: Samuel Bravo vence prêmio de Harvard

O arquiteto chileno ganhou 100 mil dólares e deve viajar pela América do Sul, Ásia e África para realizar pesquisas

 (Divulgação/Wheelwright Prize)

Dedicado a novos arquitetos com projetos de pesquisa baseados em viagens, o Wheelwright Prize selecionou Samuel Bravo como vencedor da edição de 2017. A premiação da Harvard University Graduate School of Design (GSD) recebeu mais de 200 inscrições de mais de 45 países.

Melimoyu Cabin, na baía de Melimoyu, no Chile.

Melimoyu Cabin, na baía de Melimoyu, no Chile. (Divulgação/Samuel Bravo)

Formado pela Pontifícia Universidade Católica do Chile, o arquiteto chileno foi o escolhido dentre quatro finalistas. Seu projeto, Projectless: Architecture of Informal Settlements, tem foco nas arquiteturas tradicionais e nos assentamentos informais. Bravo recebeu um prêmio de 100 mil dólares – o valor deve financiar dois anos de suas pesquisas na América do Sul, Ásia e África.

Ani Nii Shöbo, em Ucayali, no Peru.

Ani Nii Shöbo, em Ucayali, no Peru. (Divulgação/Samuel Bravo)

Segundo a página oficial do Wheelwright Prize, “as viagens começarão na bacia amazônica, que abriga 400 grupos étnicos, incluindo algumas tribos ainda isoladas, e continuará para as planícies amazônicas, onde visitará dezenas de assentamentos, grandes e pequenos, do Peru à Colômbia ao Brasil. Ele irá observar os assentamentos prístinos, bem como aqueles que são pressionados pelas forças de desenvolvimento, extração de recursos e migração. Ele continuará para a África, onde os centros urbanos (como Lagos, Nigéria) estão passando por um crescimento demográfico extremo. Na Ásia, ele planeja visitar Bangladesh, Nepal e Índia, onde identificou uma série casos de estudo, de aldeias tradicionais a favelas globais”.

Com projetos concentrados na América do Sul, o arquiteto teve seus trabalhos expostos na Bienal de Arquitetura do Chile em 2010 e 2012 e no pavilhão de seu país na Bienal de Veneza de 2010. Bravo já havia sido finalista do Wheelwright Prize no ano passado.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s