“Resgatar o trabalho manual é reconhecer que somos humanos”

Como experiências sensoriais podem nos lembrar de que nem tudo surge com um simples push the button

Conversar com a estilista Flavia Aranha foi uma verdadeira aula de como é possível equilibrar a vida corrida e complexa na cidade de São Paulo com um negócio sustentável, que incorpora etapas manuais e respeita o tempo desses processos. Tudo isso sem perder de vista questões contemporâneas.

Em seu ateliê na Vila Madalena, foram 40 minutos de conversa descontraída e muito enriquecedora, mas um momento em particular dessa entrevista me chamou muito a atenção e vou contá-lo a vocês. Quando perguntei a estilista se ela achava que o forte retorno das artes manuais era uma reação ao sentimento de frieza decorrente do nosso contato exagerado com computadores, TVs e aparelhos eletrônicos somada a uma vida muito estressante. Muito coerente e atenta às inovações tecnológicas, a designer de moda que está cursando Engenharia Têxtil, respondeu que não temos de encarar a tecnologia como uma inimiga. Segundo ela, de fato, a modernidade nos afastou das nossas raízes a ponto de, muitas vezes, não sabermos mais a origem das coisas. E a tecnologia e a industrialização contribuíram muito para isso. No entanto, nos dia de hoje, o manual sem inovação de material e de processos não faz sentido. Essas duas pontas que parecem opostas precisam, na verdade, ser combinadas. E é exatamente a soma que torna possível este modelo de negócio.

Processo de tingimento botânico.

Processo de tingimento botânico. (Divulgação/Revista CASA CLAUDIA)

“De fato, temos vivido uma vida que nos distancia de quem somos, da nossa essência, do toque. Tudo é virtual, tudo é distante. Acho interessante que as crianças não sabem de onde vem a comida que elas comem. Neste sentido, resgatar o trabalho manual é reconhecer que somos humanos. É lembrar de onde viemos. É lembrar de como as coisas são feitas. É lembrar de que não é só apertar um botão que as coisas surgem. Existem etapas. Existem processos. Existem pessoas envolvidas e tempos envolvidos.”, Flavia Aranha.

Esse é um dos vários questionamentos que a estilista levanta neste vídeo. Enjoy!

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.