Planta também segue moda, sabia?

Não há dúvidas de que são os cactos e as suculentas que estão bombando no momento. Descubra as espécies que estrelaram nos jardins de outras épocas

Tenho pensado muito sobre esse assunto, porque é curioso como de uma hora pra outra as pessoas começam a me pedir uma determinada planta. Daí percebo que essa espécie está bombando nos posts das mídias sociais, em vários ambientes de mostras de decoração e figuram em vários editorais de revista. Chamem do que quiserem: moda, maria vai com as outras, inconsciente coletivo, mas o fato é que você de repente sente que PRECISA ter aquela planta.

 (Divulgação/Jardineiro Fiel)

Vamos fazer uma retrospectiva e tenho certeza que você vai identificar essas tendências no decorrer do tempo:

Nos anos 50 os jardins eram mais formais, com traçados simples e geométricos. As azaleias e os buxinhos eram obrigatórios.

Nos anos 60 acaba esta formalidade e…  quem não desejava possuir um ficus?  E as samambaias de metro? Faziam até concursos!

Floreiras de ferro galvanizado, da Prototyp&, com samambaias

Floreiras de ferro galvanizado, da Prototyp&, com samambaias (Manu Oristanio/Revista CASA CLAUDIA)

Nos anos 70, época do início de Burle Marx, replicamos a natureza do país tropical e fomos firmes de: areca, principal escolha entre as palmeiras, bromélias, iucas, dracenas, e folhagens vermelhas.

Nos anos 80 começou uma onda em que o paisagismo se integrava com a arquitetura. Houve ainda uma grande influência da imigração japonesa com suas topiarias e foi a vez das kaizucas e dos buchinhos. E a árvore da felicidade? Quem não tinha uma em casa estava por fora!

Nos anos 90 surgiu a procura por jardins que exigissem menos manutenção, com poucas plantas, mas que formassem um conjunto harmonioso com a arquitetura da época – clean. Em alta figuravam: pedriscos e seixos, gramados, bambu-mossô, cicas, palmeira-fênix, nandina, pata de elefante e lança-de-são-jorge.

Grandes portas e janelas integram este ambiente ao jardim, desenhado com a farta vegetação tropical do paisagismo original de Burle Marx.

Grandes portas e janelas integram este ambiente ao jardim, desenhado com a farta vegetação tropical do paisagismo original de Burle Marx. (MCA Estúdio/)

Nos anos 2000 volta o modelo Burle Marx, onde o mais importante é a harmonia do todo. O mais natural possível, o que no Brasil significa: plantas tropicais. Desenvolvem-se melhor por serem nativas e de fácil manutenção: palmeiras, dracenas, bromélias, filodendros, helicônias, e marantas.

E as queridinhas dos dias de hoje? Você tem alguma dúvida de quais são? Presentes em milhares de posts no Pinterest e no Instagram, tem lugar de destaque nas prateleiras de lojas de jardinagem: os cactos e as suculentas. Também pudera, são lindos, esculturais e de fácil manutenção! Um verdadeiro objeto de decoração vivo!

Fiz uma pastinha para CASA CLAUDIA no Pinterest do Jardineiro Fiel com algumas fotos de plantas e jardins que exemplificam o que disse aqui. Dá uma olhada:

VEJA TAMBÉM: Passo a passo para criar um minijardim de cactos

Não esqueça de acompanhar a #JardimCASACLAUDIA pelas redes sociais. E nos vemos daqui duas semanas!

Veja também

 (Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s