As peças de antiquário na CASACOR São Paulo 2018

Móveis antigos de madeira são destaque na mostra paulistana

O móvel de farmácia português do século XIX faz as vezes de dispensa na cozinha contemporânea da TRiART, uma trinca de jovens arquitetos de olho no futuro, mas sem esquecer o passado.

O móvel de farmácia português do século XIX faz as vezes de dispensa na cozinha contemporânea da TRiART, uma trinca de jovens arquitetos de olho no futuro, mas sem esquecer o passado. (Divulgação/Arnaldo Danemberg Antiquário)

Estamos em época de CASACOR São Paulo. E nada mais agradável do que passear num fim de tarde pela mostra de arquitetura e decoração mais importante da América Latina. Para nós, é uma boa oportunidade de conhecer alguns espaços, rever outros e se aprofundar em detalhes que ao primeiro olhar passam despercebidos, além de encontrar profissionais e visitantes. Enfim: sentir a “temperatura” do mercado de decoração.

Algo que tem me impressionado é a aceitação dos visitantes, neste mundo tão contemporâneo, das peças antigas que estão expostas. Do público à imprensa, todos estão de olho na memória dos objetos, na história de cada um, na estética. Muita gente me abordou encantada com o aconchego que os móveis antigos de madeira trazem. O mesmo retorno, recebo dos arquitetos.

E não é à toa. Afinal, esse tipo de móvel carrega nossas memórias, lembranças de muitas vidas. O urbanista e arquiteto Lucio Costa, ainda estudante em 1922, relatou o impacto da arquitetura e de sua carga histórica nas pessoas. É dele o seguinte pensamento, registrado pelo historiador Gilberto Freyre: “Quem viaja pelo interior de Minas, percorrendo suas velhas cidades, Sabará, Ouro Preto, São João del-Rei, Mariana e tantas mais, não pode deixar de ter a impressão triste que tive vendo completamente esquecidos aqueles vestígios tão expressivos de nosso passado, de um caráter tão marcado, tão nosso. Vendo aquelas casas, aquelas igrejas, de surpresa em surpresa, a gente como que se encontra, fica contente, feliz. E se lembra de coisas que a gente nunca soube, mas que estavam lá dentro de nós…”

Os móveis, assim como os monumentos e as cidades, estão impregnados de memória, de história, nos dando essa mesma sensação. E vê-los restaurados, reluzentes, prontos para uma nova etapa de suas (nossas) vidas, causa em nós um grande contentamento, um belo reencontro com tão importante arte decorativa.

Na galeria a seguir, destaco alguns ambientes onde o antigo, sejam móveis ou objetos, aparece em harmonia com o contemporâneo, tem seu destaque e reconhecimento. Espero que curta!

Veja também

 (Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s