Em boa companhia

No interior da França, pai e filha na estrada, em busca de peças preciosas

Arnaldo Danemberg

 (Divulgação/Arnaldo Danemberg Antiquário)

Há quase vinte anos, a cidade de Bordeaux, no sudoeste francês, tornou-se meu ponto de referência na Europa para garimpar para o meu Acervo. Em Bordeaux, decidi não contratar mais transportadoras para carregar os móveis, como fazia em Londres e Paris. Tratei de me familiarizar com um caminhão e saí pelas estradas dirigindo, percorrendo pequenos vilarejos em busca de tesouros, descobrindo feiras, passando por casas de leilões e vendedores particulares. Onde vendiam, lá estava eu… E onde não vendiam, também. Afinal, não custa nada tentar! Comprava, carregava na hora, para, no final do dia, armazenar tudo em um depósito em Bordeaux.

Arnaldo Danemberg

 (Divulgação/Arnaldo Danemberg Antiquário)

Nessas viagens, as experiências são as mais diversas e enriquecedoras. Conhecer o povo francês do interior, sua receptividade, sua amabilidade. E sua comida, um capítulo à parte! O meu Grand Tour, como batizei essa viagem anual, tem uma ligação estreita com a gastronomia. A viagem acaba se revelando um grande roteiro gastronômico. Gourmet e gourmant, aprecio cada vez mais as sopas, os guisados, os patês, queijos e sobremesas locais. Acompanhados do bom vinho da casa, claro. Uma comida restauradora, que faz tão bem e recompõe os que trabalham com os braços. Seguir o faro de caminhoneiros e obreiros em geral é aposta certa. Basta prestar atenção nos lugares lotados de caminhões. É sinal de bom restaurante!

Arnaldo Danemberg

 (Divulgação/Arnaldo Danemberg Antiquário)

Neste início de 2018, essa experiência foi ainda mais rica porque minha filha, Paloma Danemberg, gerente geral do Antiquário, me acompanhou em sua primeira viagem oficial como garimpeira. Desde muito cedo neste ramo, agora ela estava em busca de peças para o ad.studio, seu segmento no Antiquário. Quanta emoção! Testemunhar o esforço do seu aprendizado, mostrar a ela o passo a passo desse fascinante e árduo mundo. Foram cerca de 40 horas de estrada, dias de trabalho duro no garimpo e a lembrança que ficará para sempre em nossas vidas. E vamos em frente!

Arnaldo Danemberg

 (Divulgação/Arnaldo Danemberg Antiquário)

Veja também

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.