Apartamento pequeno, mas com muito espaço para quadros e coleções

Cada objeto, quadro ou móvel que entra no apê de 60 m² do arquiteto Maicon Antoniolli tem um significado especial e se transforma em peça de lindos arranjos

Ao mudar para este apartamento de 60 m², no bairro da Vila Mariana, em São Paulo, o arquiteto Maicon Antoniolli trouxe na mudança peças de valor afetivo, quadros e muitos livros. Sem alterar a planta do imóvel, ele realizou pequenas intervenções, como a retirada do carpete e, sob ele, acabou encontrando o conservado piso de taco de perobinha. “Um tesouro, que exigiu apenas polimento para revelar sua bonita tonalidade”, diz. As portas e esquadrias foram pintadas de branco e as paredes receberam um tom off-white. Atenção especial foi dada ao projeto de iluminação, com pontos de luz indireta. “No fim, a atmosfera ficou tão gostosa que resolvi transferir também meu escritório para cá”, afirma.

* Antes de comprar a tinta, confira o tom no catálogo do fabricante. A impressão da revista altera a cor original.

 

Como o arquiteto definiu as cores

 

Pouco a pouco, Antoniolli decorou os ambientes com móveis, objetos e cores. “Fui desenhando a arquitetura de interiores conforme sentia a atmosfera”, conta, citando o filósofo francês Gaston Bachelard (1884-1962), que afirma serem as sensações proporcionadas pelo espaço muito mais importantes do que o espaço em si. “Sempre busco me cercar de elementos que remetem a momentos de minha história”, diz. Um exemplo disso está no azul escolhido para o armário do banheiro. “É igual ao tom da cozinha da casa em que passei a infância.” A nuance, assim como o lilás do quarto, ainda cumpre a função de demarcar bem os espaços íntimos do apartamento, uma vez que o arquiteto mora e trabalha no mesmo endereço.

 

 

Dicas para criar pelos arranjos de quadros e objetos

 

Alguns recursos ajudam a organizar as peças. “A dica mais legal é sempre deixar espaços em branco entre os itens e incluir um toque lúdico para tornar a composição interessante”, diz o arquiteto Maicon Antoniolli, que ensina ainda estes segredos. Quadros: “Trace na parede uma linha imaginária na altura das portas e agrupe os quadros desse ponto para baixo. Faça um ensaio da arrumação no chão, procurando valorizar cada obra”. Objetos: “Um bom caminho é organizar grupos de itens por cor, como fiz com os vasos sobre a mesa de refeições e com as porcelanas brancas no revisteiro da sala de estar”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s