Casa assinada pela arquiteta Gisele Taranto é uma verdadeira obra de arte

Quase como uma pintura, desenhada com uma paleta de tons neutros e salpicada com estudadas pinceladas de azul, esta casa carioca traz a elegância clássica de uma tela de museu. Quem assina é a arquiteta Gisele Taranto.

Basta cruzar a larga e sólida porta de freijó, que pivota sem cerimônia na entrada desta casa em um condomínio da zona sul carioca, para reparar que há algo de especial no ar, seja nas belas telas que salpicam as paredes de tons de azul, seja nos móveis com design assinado, que montam ambientes sofisticados, convidativos e extremamente confortáveis. A bela luz filtrada pelo pátio interno integrado ao estar, onde ficam a piscina e a área de lazer, desenha os espaços. Há ainda os jardins, que cercam toda a estrutura e, aqui e ali, deixam a folhagem verde presente através dos painéis de vidro da fachada. Ali tem vida e movimento. “É uma casa de verdade. Sempre lotada de crianças, música e feita para receber. Com e sem cerimônia”, aponta a proprietária, que se mudou faz poucos meses de outro imóvel no mesmo condomínio. “Morávamos bem perto, mas precisávamos de mais espaço e, principalmente, de luz natural. Quando surgiu esta oportunidade, percebemos que seria um ótimo investimento para o estilo de vida que tanto prezamos”, acrescenta ela, que é empresária do universo da decoração e ligadíssima em cada peça que compõe o seu acervo. “Sabíamos bem o que queríamos: integração e claridade. Mas o espaço original era compartimentado e escuro, de estilo provençal. Uma boa reforma seria inevitável”, explica. Logo que assumiram que havia uma obra pesada à vista, pensaram no nome da arquiteta Gisele Taranto, autora de vários projetos no condomínio. “Tínhamos visitado a casa de amigos, vizinhos, e ficamos encantados com o aproveitamento do espaço. Resolvemos chamá-la para uma conversa e percebemos a total afinidade estética”, diz. Gisele, por sua vez, lembra que, inicialmente, eles pediram apenas um “tapa” na estrutura. Mas não resistiu: na apresentação da proposta, trouxe a perspectiva mais simples e uma segunda, radical, com soluções que previam colocar paredes abaixo e redesenhar a fachada com linhas retas e contemporâneas. “Eles ficaram impactados e partiram para a reforma total”, conta ela, que, durante o processo, foi desenvolvendo paralelamente a decoração. “Gosto que as duas etapas caminhem juntas. Basta um bom planejamento”, avisa. Neste caso, durante os cerca de seis meses de obra, arquiteta e cliente percorreram um circuito de lojas do Rio e São Paulo em busca de opções para rechear a base neutra, com paredes brancas e piso de mármore travertino. “Escolhemos privilegiar tons espartanos, como branco, cinza e preto, com pitadas de azul”, revela Gisele. Já os móveis, por sua vez, são quase todos assinados – por designers italianos ou brasileiros. “O foco foi qualidade e elegância. Sem modismos”, arremata Gisele. 

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.