Casa grande com jardim em São Paulo tem clima carioca

Carioca que vive em São Paulo há nove anos, a dona desta casa conseguiu trazer o clima descontraído de sua cidade natal a todos os ambientes

A poesia, a bossa, o samba, as cores, o frescor e a alegria cariocas encontraram nesta morada, na paulistana Vila Madalena, uma filial digna de seu apelido: Minirrio. Fernanda, a moradora, fez questão de colocar uma pitada da atmosfera da cidade natal em cada ambiente do imóvel de 720 m² – a principal intenção era curtir um estilo de vida mais tranquilo ao lado da família. “Queria um canto que traduzisse meu espírito leve e, ao mesmo tempo, fosse acolhedor. Nossa casa é toda pensada para receber bem os amigos. Simplesmente adoramos isso”, afirma. Erguida na década de 1940, a construção já possuía a estrutura de lazer pronta. Mesmo assim, precisou de reforma, comandada pela arquiteta Christiane Sacco e pela designer de interiores Denise Abdalla, autoras também da decoração. “Demos especial atenção à parte externa, pois é a alma do lugar. Então os espaços internos se abriram para o jardim com a instalação de grandes painéis de vidro”, conta Denise. Essa conversa entre o dentro e o fora resulta num décor descontraído e arejado. “Trabalhamos com pontos de tonalidades fortes, que acabam realçados pela incidência de luz natural”, diz a designer de interiores.

Quando os amigos chegam à casa, logo são encaminhados para a área gourmet. Lá, a diversão acontece, e a música rola solta em volta da piscina. A especialidade da moradora, claro, é uma carioquíssima feijoada. “Já esperamos os convidados com cerveja gelada, frutas frescas e petiscos sobre o aparador. Ah, e as roupas precisam ser confortáveis. Se alguém aparece de terno, imediatamente emprestamos bermuda e chinelos”, brinca Fernanda. Uns se acomodam perto da bancada, e outros se esparramam pela área verde, projetada e mantida pelo escritório Jardim Paulistano, cujo paisagismo cumpre muito bem a tarefa de fazer a natureza abraçar a morada. No telhado, há, ainda, pomar e horta com as mais variadas espécies, além de mesa e cadeiras, em que a proprietária gosta de sentar para contemplar o pôr do sol tomando uma taça de vinho. Nessas horas, a correria típica de São Paulo já nem existe mais – estacionou do lado de fora.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s