Casarão antigo na África do Sul vira morada acolhedora após reforma

Localizada na Cidade do Cabo, na África do Sul, a morada da família Jedeikin é um projeto singular. Com estrutura imponente, a casa tem ares de isolamento, mas seu interior atemporal é um convite para os visitantes relaxarem numa atmosfera serena e encantadora

Há 20 anos, Jeni e Lionel Jedeikin se mudaram com os filhos pequenos de Durban, a terceira maior cidade da África do Sul, para um casarão antigo e detonado na Cidade do Cabo, devido principalmente à conveniência: a morada ficava perto da escola das crianças e do trabalho do marido, cirurgião plástico. “O espaço vinha sendo alugado havia muito tempo, então não tinha alma”, conta Jeni. “No dia anterior a nossa mudança, telefonei para o Lionel e disse: ‘Esta casa é péssima! Cancele o negócio’.” No entanto o bom senso prevaleceu, e a família se instalou. Conforme os meses passavam, a vida animada e bastante ocupada dos moradores providenciou a essência que faltava antigamente. Somente há quatro anos o casal decidiu embarcar numa grande reforma, transformando, quase por inteiro, a composição inicial do imóvel. “Podíamos ver que a estrutura era boa, mas a divisão em vários pequenos ambientes, não”, explica a dona da casa. “A vantagem é que não tivemos de desfazer modificações anteriores. A construção foi mantida intacta, em seu estado original.” A reestruturação incluiu a união de alguns cômodos para criar a adorável cozinha, comprida como um vagão, na qual um forno de pizza é testemunha das muitas reuniões descontraídas dos Jedeikins.

No andar de cima, dois quartos foram agregados para dar lugar à suíte principal. Para Jeni, a reformulação tinha de ser prática e autêntica para acompanhar o estilo da família. “Não modernizamos nada, exceto o fluxo”, explica ela. “Onde tivemos de adicionar janelas, nós compramos modelos antigos, que eram da mesma idade que a do imóvel.” Isso intensifica a sensação de atemporalidade interiorana que permeia a morada: nota-se que cada obra de arte tem uma história fascinante. São peças que guardam lembranças, pois foram presente dos pais do casal, de colegas, ou compradas não pelo valor do investimento, mas porque nem Jeni nem Lionel puderam resistir. Dentro da construção um tom aveludado de cinza cobre as paredes, criando um clima acolhedor. As únicas exceções são: o banheiro retrô para os hóspedes, que recebeu um delicioso toque rosado em homenagem ao icônico Belmond Mount Nelson Hotel, também na Cidade do Cabo; e o quarto cheio de personalidade do caçula, David. “O que me encanta é como as mudanças fazem com que meus filhos sempre voltem”, completa Jeni, falando sobre os mais velhos, Luke e Jessica. “Eles amam estar aqui, assim como seus amigos, que cresceram nesta casa.” Até mesmo Bardot, a buldogue-francesa de Luke, fica ansiosa para visitar a morada, o que deixa claro que todos são bem-vindos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s