Sobrado com atmosfera feminina

Antes escura e cheia de divisões, esta casa ganhou vida nova. De tão agradável, a morada virou ponto de encontro dos amigos.

Quando a arquiteta Mariana Andersen começou a procurar um imóvel, este sobrado, na zona oeste de São Paulo, foi o primeiro local que visitou. No entanto, a decisão da compra precisou de um ano para amadurecer. “Minha intenção inicial era viver em apartamento e demorei certo tempo para me convencer de que, na verdade, desejava uma casa”, revela. Entre as características que ela buscava, estavam a área verde e a luz natural abundante. “Apesar de o sobrado ser todo compartimentado, percebi que poderia visualizar o quintal da porta de entrada se derrubasse as paredes centrais”, conta. E assim foi feito. Cinco pórticos metálicos, embutidos nas paredes laterais, reforçaram a estrutura, que ganhou também vigas aparentes pintadas, nas quais se instalaram a fiação elétrica e alguns pontos de luz. No piso, mais uma boa solução: as réguas de peroba-rosa vieram de um leilão, organizado por uma demolidora. “Havia escolhido o cimento-queimado, mas o preço atraente me levou a investir na madeira, muito mais acolhedora”, avalia. Terminada a reforma, Mariana definiu que a decoração seria em tons de cinza, azul e roxo. As aquisições, no entanto, aconteceram aos poucos. “Ficava na rede do quintal, imaginando a peça ideal para cada canto”, recorda.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.