Tonel enferrujado transforma-se em doceria na CASACOR RN

Com o objetivo de aliar arquitetura e sustentabilidade, o projeto de Olga Portela converteu a estrutura em uma charmosa doceria, a Silo de Açúcar

Doceria Silo de Açúcar CASACOR RN 2017

 (Divulgação/CASACOR)

Aliar arquitetura com sustentabilidade foi uma das premissas dos ambientes da edição 2017 da CASACOR Rio Grande do Norte que terminou no último dia 29. Com o intuito de trazer novos conceitos e formas construtivas com menos impactos ambientais, o projeto ousado e inédito da arquiteta Olga Portela transformou um tonel enferrujado de óleo de castanha em uma charmosa e aconchegante doceria, a Silo de Açúcar.

Doceria Silo de Açúcar CASACOR RN 2017

 (Divulgação/CASACOR)

De acordo com Olga, a ideia inicial era utilizar um container, no entanto, quando encontrou a estrutura que estava há anos esquecida em um depósito de ferro de Macaíba, região metropolitana de Natal, não teve dúvidas em usá-la. “Minha ideia era agregar valores, não só arquitetônicos, mas também ambientais. Queria utilizar materiais já existentes que me proporcionassem a redução significativa de subsídios e recursos naturais. Sempre procuro dar novos usos aos materiais que utilizo em meus projetos, mas sem dúvida nenhuma, esse foi o meu maior feito neste sentido”, explica a arquiteta.

Doceria Silo de Açúcar CASACOR RN 2017

 (Divulgação/CASACOR)

Um dos grandes desafios era transformar aquele tonel em um espaço comercial, funcional e delicado. O uso de cores claras e mix de texturas apostando em materiais naturais ajudou a reforçar o clima aconchegante ideal para um ambiente como esse.

Doceria Silo de Açúcar CASACOR RN 2017

 (Divulgação/CASACOR)

Olga utilizou placas fotovoltaicas para gerar e abastecer o espaço com a energia solar. Na parte interna utilizou pisos em porcelanato de uma empresa certificada pela Scientific Certification System – SCS, filiada ao U.S. Green Building Certification; móveis produzidos com madeiras reflorestadas; instalações com lâmpadas de LED e porta automática que assegura a economia de energia.

Tonel

O ambiente inspira e expira reflexões aos visitantes. “Quero que todos repensem suas ações no presente, onde fazer o mais com menos tem relevância e insere valores no cotidiano das pessoas, de forma que os fatores econômicos, sociais e ambientais estejam sempre na mesma sintonia”, conclui a arquiteta Olga Portela. Com o fim da mostra o Silo será colocado à disposição de empresários que queiram investir na ideia.

 

 (Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s