A razão e a sensibilidade de Ineke Hans

Autora de peças bem-humoradas, a holandesa diz que o papel dos designers vai mudar e reflete sobre a importância da longevidade para o futuro do planeta

Autora de peças bem-humoradas, a holandesa diz que o papel dos designers vai mudar e reflete sobre a importância da longevidade dos produtos para o futuro do planeta Graduada pelo Royal College of Art, de londres, Ineke é dona de uma linguagem autoral forte.

Graduada pelo Royal College of Art, de londres, Ineke é dona de uma linguagem autoral forte. (Divulgação/Revista CASA CLAUDIA)

Quais são as prioridades do design contemporâneo?

Os designers são intermediários entre consumidores e fabricantes. Porém vivemos num mundo em que já não precisamos de muito mais coisas. O desafio nos próximos anos será redirecionar os projetos para resolver problemas, criando não mais produtos, e sim soluções inovadoras para o cotidiano. Precisamos de menos objetos e mais estratégias que façam a diferença.

Autora de peças bem-humoradas, a holandesa diz que o papel dos designers vai mudar e reflete sobre a importância da longevidade dos produtos para o futuro do planeta Dublê de mesinha e banqueta, a Plektra (40 x 40 cm e 40 x 26 cm), produzida pela Iitalla, tem acabamento de compensado de faia natural (335 dólares na Connox) ou laqueado (188 euros na Flery de bock).

Dublê de mesinha e banqueta, a Plektra (40 x 40 cm e 40 x 26 cm), produzida pela Iitalla, tem acabamento de compensado de faia natural (335 dólares na Connox) ou laqueado (188 euros na Flery de bock). (Divulgação/Revista CASA CLAUDIA)

O papel do designer vai mudar?

A situação clássica de designers que projetam apenas para grandes fabricantes está desaparecendo. Não só porque existem muitos de nós mas também porque a indústria mudou. Hoje podemos produzir séries menores do que algumas décadas atrás e atender o gosto mais individualizado do consumidor. Os designers fazem manufatura em massa e pequenas linhas artesanais. Também se envolvem em projetos comunitários, como eu fiz na Ilha do Fogo, no Canadá, e no Malauí, na África. Além disso, a tecnologia de código aberto tornou possível baixar arquivos digitais onde quer que você esteja para fabricar objetos apenas quando necessário, o que é muito bom para o meio ambiente.

Autora de peças bem-humoradas, a holandesa diz que o papel dos designers vai mudar e reflete sobre a importância da longevidade dos produtos para o futuro do planeta Criados para a Hitch Mylius, o sofá (1,70 m x 62 cm x 92 cm) e a poltrona (72 cm x 64 cm x 1,20 m) da coleção Flix combinam estrutura de compensado com almofadas de poliuretano sob tecido de lã. Preço sob consulta.

Criados para a Hitch Mylius, o sofá (1,70 m x 62 cm x 92 cm) e a poltrona (72 cm x 64 cm x 1,20 m) da coleção Flix combinam estrutura de compensado com almofadas de poliuretano sob tecido de lã. Preço sob consulta. (Divulgação/Revista CASA CLAUDIA)

Personalidade é fundamental?

Gosto de criar peças leves, descomplicadas, ainda que com caráter. O truque é dar a elas um toque atemporal também. Se se tornam muito estilizadas ou relacionadas demais a alguma tendência, correm o risco de ficar fora de moda um dia. Considerando a importância da longevidade para a sustentabilidade, isso não é muito desejável.

Autora de peças bem-humoradas, a holandesa diz que o papel dos designers vai mudar e reflete sobre a importância da longevidade dos produtos para o futuro do planeta Poltrona Plouf (82 x 85 x 68 cm), da Moome. Com estrutura de aço e assento de poliuretano. Na Future Proofed, por 897 euros.

Poltrona Plouf (82 x 85 x 68 cm), da Moome. Com estrutura de aço e assento de poliuretano. Na Future Proofed, por 897 euros. (Divulgação/Revista CASA CLAUDIA)

Como você vive?

Na Holanda, a minha casa fica a dez minutos de bicicleta do meu estúdio. Em Londres, moro e trabalho num espaço alugado, não muito grande, mas que me serve perfeitamente. Fica próximo de um dos canais do Tâmisa e eu amo ver o rio – talvez porque seja holandesa. Por isso, tenho sonhado em projetar pessoalmente uma casa menor e muito mais prática, onde possa viver e criar meus projetos, perto da água. Tem de ser muito leve e colorida. Ainda não tenho certeza se será dentro da cidade, pois posso trabalhar de qualquer lugar.

Veja também
Autora de peças bem-humoradas, a holandesa diz que o papel dos designers vai mudar e reflete sobre a importância da longevidade dos produtos para o futuro do planeta O conjunto de porcelana negra Black Gold está no acervo dos museus Boymans van Beuningen e Stedelijk. Por 241 euros, o bule, e 299 euros, o jogo de quatro xícaras, no site da designer.

O conjunto de porcelana negra Black Gold está no acervo dos museus Boymans van Beuningen e Stedelijk. Por 241 euros, o bule, e 299 euros, o jogo de quatro xícaras, no site da designer. (Divulgação/Revista CASA CLAUDIA)

 (Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s