19 perguntas e respostas sobre drywall

As paredes de drywall substituem a alvenaria? Como pendurar um quadro em paredes de gesso? Será que paredes de gesso aguentam um chute? Descubra agora com estas dúvidas

1- drywall

 (/)

Embora pesquisas de satisfação apontem usuários contentes com suas paredes de gesso, os fabricantes ainda precisam vencer o preconceito de quem desconhece o material. Aos poucos, eles vão desmistificando a crença de que paredes de gesso são frágeis. Confira as respostas para 19 dúvidas comuns sobre o material.

Paredes de drywall são resistentes?

Se bem-feitas, sim. Por isso, há necessidade de contratar gente especializada. Convém tomar cuidados, como o cálculo estrutural adequado ao pé-direito. Se for de 2,70 m, basta uma placa comum (12,5 mm de espessura) em cada lado do perfil metálico. Conforme aumenta a altura, melhor reforçar o conjunto com versões mais espessas ou duplas. Obras maiores pedem o auxílio de arquiteto, já uma parede pode ser planejada por consultores técnicos indicados pelas revendedoras.

Como se comporta em ambientes sujeitos a vibrações e impactos? As paredes aguentam um chute ou a batida de um móvel?

Projetado para absorver as movimentações naturais, o drywall passou em testes de impacto e cumpre as normas de desempenho da ABNT. Os fabricantes asseguram que o material resiste a trombadas sem danos e não é fácil de ser derrubado. Também não apresenta patologias frente a impactos do dia a dia, como batidas de porta.

Substitui a parede tradicional?

Se ela não for estrutural, sem problemas. As vantagens da troca são ganho de espaço, bom isolamento termoacústico e facilidade para passar novas instalações hidráulicas e elétricas.

O que não pode ser feito com ele?

Destinado apenas a áreas internas, não suporta intempéries, nem apoia carga de telhado ou laje. Nesse caso, o ideal seria empregar o sistema steel frame, ou seja, perfis estruturais de aço fechados por fora com chapas cimentícias ou OSB. Alguns fabricantes lançaram painéis que utilizam as placas de cimento externamente e o drywall por dentro, cumprindo essa função. Outra restrição é o emprego em saunas, por causa do vapor constante.

Por que usá-lo sobre alvenaria existente? 

Essa combinação dispensa acabamento final (reboco e massa fina). Compensa nas situações em que a superfície é irregular ou se deseja passar fios e canos sem quebra-quebra. Além disso, a solução aumenta os desempenhos térmico e acústico.

Na sala deste dúplex de Curitiba, a parede de blocos de concreto celular foi...

 (/)

Que acabamentos ele aceita?

Não há proibições, mas cada opção requer cuidados específicos. Para a pintura, indica-se aplicar massa para drywall e tinta acrílica ou látex PVA. Revestimentos cerâmicos são fixados com argamassa colante própria. Já as pedras pesadas pedem cantoneiras a fim de distribuir as cargas nos montantes.

As placas suportam a colocação de portas?

Sim, para isso é preciso preparar a montagem estrutural. Onde será fixado o batente, são colocados montantes e uma verga metálica na parte de cima do vão. O batente pode ser preso com parafuso (e então é mantido um reforço) ou espuma de expansão. Nesse segundo caso, melhor adotar montante duplo ou perfil de aço e chapas mais grossas (0,95 mm) que as utilizadas em perfis normais (0,50 mm). Em portas de correr, as vergas recebem trilhos. Para ocultar a folha corrediça, a solução é fazer à frente dela uma segunda parede simples.

Posso embutir bancada de mármore ou granito?

Claro. Peças assim, que chegam a pesar mais de 60 kg por m2, exigem reforço no interior do drywall. Trata-se de um pedaço de madeira ou chapa metálica preso entre dois perfis verticais de aço – os mesmos onde é parafusado o gesso. Depois da parede fechada, mãos-francesas cuidam de sustentar a bancada.

E se eu mudar de ideia e quiser colocar uma peça pesada numa parede desprovida de reforço?

Será necessário abrir uma das faces da parede escolhida, aplicar o reforço e então usar nova placa de gesso para o fechamento, já que geralmente ela é danificada na desmontagem.

Como fixar quadros e espelhos?

Todo objeto que pesa até 10 kg pode ser preso no gesso. Se tiver entre 10 e 18 kg, convém instalá-lo nos perfis. Acima disso, deve-se aplicar o reforço ou distribuir a carga. Isso porque a distância máxima entre dois montantes é de 60 cm, e cada um deles suporta 18 kg. Se o espelho tiver essa largura e pesar até 36 kg, a carga total será dividida entre os dois perfis.

O espelho e a bancada de granito e madeira, feita em balanço, ficam presos n...

 (/)

Drywall aceita rede de balanço?

Sim, porém exige cálculo estrutural feito por profissionais gabaritados. Não adianta reforço somente na parede, já que o peso alcança até 400 kg, e o perfil metálico (montantes e guias) é diferente do usado em paredes. Ele precisa ser reforçado com chapas de aço mais grossas, onde serão soldados os ganchos.

Num apartamento novo, como descobrir a resistência das paredes de drywall?

O manual do proprietário ou o memorial descritivo do imóvel demarcam os reforços existentes. Na cozinha, eles geralmente aparecem por toda a extensão em que se caibam armários. As construtoras acompanham os pontos de sustentação padronizados pelos fabricantes de móveis. Na ausência do memorial, é preciso abrir as placas, caso não haja reforços de madeira ou metal, deve-se fazê-los na altura em que se quer fixar os armários.

Qual a diferença entre o forro de gesso normal e o de drywall?

Por conter uma estrutura metálica, o drywall é mais resistente. O comum, com plaquinhas de gesso penduradas e chumbadas, oferece mais risco de surgimento de patologias devido à movimentação natural da edificação. Existe ainda um tipo intermediário, o FHP, que é semi-industrializado e dispensa a parte metálica. O acabamento não é tão primoroso quanto o forro de drywall, mas sua qualidade é superior ao comum.

O forro elimina o som do andar de cima?

Ele barra o ruído aéreo – como latidos – mesmo sem a lã mineral. Na transmissão por vibração, caso do salto alto, reduz o barulho. Para zerá-lo, porém, são necessários cálculos técnicos e isolamento também em paredes, janelas e portas.

Eles servem para áreas externas, como beirais?

Se não tiver contato com a chuva, sem problemas. Ideal é que o telhado conte com manta de subcobertura, evitando infiltrações. Os forros são bastante utilizados em sacadas de apartamentos, já que o peitoril do andar superior o protege. Mas, quando exposto ao vento, as placas devem ter espaçamento menor entre perfis e travamento para maior resistência.

Como fixar o forro? Posso pendurar varal de roupa?

Tirantes de aço formam uma malha metálica, na qual são parafusadas as placas de gesso. Com buchas específicas pode-se prender objetos de até 3 kg diretamente no gesso. Até 10 kg as buchas precisam ser fixadas no perfil de aço que sustenta o forro. Acima disso devem ser fixadas ou na laje ou em reforço preso na laje, já que é nela que deve incidir o peso.

O fogão em ilha exigiu a instalação de uma coifa, cujo duto de exaustão p...

 (/)

Quanto tempo duram as placas? Existe garantia?

A durabilidade depende de várias circunstâncias, como o local de instalação. A vida útil aumenta se preservada do contato direto com água e não receber agressões físicas pontuais (martelo). Os fabricantes dão cinco anos de garantia para serviços e materiais instalados conforme as especificações do manual.

Onde encontro o produto?

Há quatro fabricantes (Gypsum, Knauf, Placo e Trevo Drywall), que não vendem diretamente para o consumidor, mas mantêm uma rede de distribuidores e investem no treinamento de instaladores. Essas empresas, bem como várias marcas responsáveis pela produção de outros componentes do sistema, reúnem-se na Associação Brasileira do Drywall.

Onde encontro mão de obra confiável? Como fazer o contrato?

No site dos fabricantes há informações de revendedores que podem indicar pessoal qualificado. Na PlacoCenter, da marca Placo, o investimento em especialização abrange aulas teóricas e práticas. Quanto ao contrato, melhor discriminar a quantidade de material, data de instalação, preço e se inclui mão de obra. Também deve-se determinar as especificações da parede ou forro, da espessura da placa ao reforço para peso.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Bem interessante o artigo. Importante não esquecer que para obter um desempenho satisfatório, as soluções implicam um nível de detalhamento e cuidado mais importante (particularmente se for buscar uma isolação fônica igual a uma parede tradicional).
    No caso de intervenção leve, limpa e rápida em locais existente é uma ótima solução.
    Se for considerar tratar o som com esse sistema, é importante não esquecer que não é só o produto que realiza o trabalho, mas é também o plenum atrás, o modo de fixação e os contatos com as laterais, a adição de lã mineral (ou outro isolante acústico) que vão ter um impacto decisivo – considere tudo isso na hora de escolher. Além disso, é importante que a transmissão do som pelas laterais seja tratada (sem a qual o som vai continuar a passar). Vários outros detalhes tem que ser tratados para tornar essa solução efetiva: tomadas, locação de juntas flexíveis… .
    Cada solução depende do existente, do espaço disponível, da natureza do som a tratar, do orçamento disponível, em suma, pergunte ao seu arquiteto ou instalador competente qual é a melhor opção.

    Curtir