Cor desperta boas sensações

 As informações a seguir vão ajudar você a ter mais segurança para criar uma palheta de tons harmoniosa e agradável em casa.

A primeira coisa a fazer é analisar o ambiente. A professora Sueli Silva, do curso de design de interiores do Senac/SP, sugere avaliar os seguintes itens: qual é a área, como é a iluminação, o que existe no local, quem vai usar o espaço e como. As respostas ajudam a definir matizes e eliminar o que não funciona. “Em áreas reduzidas, tons quentes darão a impressão de encolhimento. Numa sala muito ensolarada, o amarelo trará vibração em excesso. Crianças dificilmente gostarão de cinza”, exemplifica.

Será que combina?

 

Uma das maiores dúvidas ao empregar cores na decoração é o que fica bem com o que. Descubra experimentando. “Conforme você cria o ambiente, monte uma palheta”, sugere o arquiteto João Carlos de Oliveira César, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Numa folha de papel, pincele o tom do piso, cole a referência da tinta e as amostras de tecidos escolhidos. “Leve essa cartela às compras e veja se a peça que deseja adquirir se encaixa na composição”, explica. Um ótimo guia para descobrir associações harmônicas é o disco cromático, especialmente se você utilizar um modelo rico em gradações , pois ele favorece fugir do óbvio. “A cor complementar do vermelho é o verde, mas você não precisa reproduzir uma cantina italiana em casa. Trabalhar com pistache e cereja fica muito mais interessante”, ensina a professora Sueli.

Tinta nas paredes

 

Você já deve ter ouvido alguém falar que uma maneira segura de decorar com cores é ter paredes brancas, estofados beges e crus e deixar o colorido para os acessórios. Porém o que fazer com aquela vontade de aquecer um pouco mais as paredes? Uma saída confiável é adotar os off-white, isto é, o branco com um leve toque de outros pigmentos. No caso desses tons insinuados e também na escolha de uma nuance bem definida, faça um teste prévio: compre 1/4 de galão e pinte dois quadrados de 1 x 1 m, um na parede de maior incidência de luz e outro na mais escura do ambiente. Observe-os durante o dia e à noite, com iluminação artificial. “O efeito na parede é diferente da percepção no catálogo”, diz o professor César.

Cor e humor

 

Por último, lembre-se de que as cores mexem com as sensações. “Um pouco de vermelho na sala de jantar desperta o apetite. Azul na sala da família propicia encontros tranqüilos. Laranja no escritório ativa a criatividade”, ensina Patrícia Douat Garcia, estudiosa de psicodinâmica das cores. Portanto, use-as para trazer equilíbrio à vida.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.