Guia: como escolher o piso de madeira ideal

Conversamos com um profissional e reunimos dicas para todas as etapas: da escolha do piso à manutenção

 (Divulgação/Indusparquet)

O piso é uma das escolhas principais da casa e a madeira é uma das opções favoritas. Mas, antes de aplicar um revestimento é necessário pensar em diversos aspectos antes de aplicar um revestimento – desde a estética até os cuidados e a manutenção. Pensando nisso, conversamos com Marcos Ducatti, gerente nacional de vendas da Indusparquet, e montamos um guia completo do piso de madeira.

Confira:

Multistrato Carvalho Bianco, da Indusparquet.

Multistrato Carvalho Bianco, da Indusparquet. (Divulgação/Indusparquet)

Os tipos de piso

“Existem muitas espécies de madeira que são utilizadas na fabricação de pisos, as mais comuns são carvalho, cumaru, sucupira, ipê, amendoim, jatobá, muiracatiara, tuari, cabreúva, amêndola, guaiuvira, marfim, peroba e teca”, explica Marcos.

Segundo ele, são cinco os tipos principais de piso:

  • Maciço, composto por réguas inteiras de madeira maciça;
  • Multistrato, composto por pequenos palitos cruzados de madeira maciça selecionados por cores. Esta técnica garante estabilidade na base do piso, evitando a abertura de frestas e empenamentos.
  • Multiestruturado, com uma estrutura composta de lâminas torneadas de madeiras tropicais e de reflorestamento cruzadas entre si como base. Essa estrutura é revestida com capa de madeira nobre e recebe camadas de verniz e aplicação de óxido de alumínio. Nele, a resistência é alta e a proteção e o brilho são maiores.
  • Multilaminado, que tem como base uma estrutura composta de lâminas torneadas de madeiras tropicais e de reflorestamento cruzadas entre si, revestidas com capa de madeira nobre menos espessa (não possibilita a revitalização).
  • Deck, inteiramente maciço e recomendado para áreas externas.
Piso Pronto Tauari Naturalle Creme, da Indusparquet.

Piso Pronto Tauari Naturalle Creme, da Indusparquet. (Divulgação/Indusparquet)

Como escolher

Assim como há diversas espécies de madeira, as opções no mercado são muitas e alguns produtos têm certas variações de tamanho, espessura, largura, aplicação, fixação e até de fabricação.

“Para escolher o melhor tipo e o tamanho é preciso, antes de mais nada, analisar se o produto ficará em todos os ambientes ou em apenas alguns espaços. Preste atenção quanto à questão da circulação de pessoas e se a área que vai receber o piso tem contato diário com água”, Marcos recomenda.

“A escolha pode ser feita com relação a dureza de cada espécie. Se for uma área de alto tráfego é indicado um piso mais escuro, de Sucupira, por exemplo. Porém, o único produto recomendado para áreas molhadas e externas é o deck, pois tem mais resistência à água e à grande circulação”, completa.

Na hora da escolha, vale a regra: quanto mais clara a madeira, mais macia. Quanto mais escura, mais dura.

Assoalho Vintage, da Indusparquet, por Celso Laetano.

Assoalho Vintage, da Indusparquet, por Celso Laetano. (Divulgação/Indusparquet)

Cuidados

Banheiro, cozinha e área externa são ambientes que exigem maior cuidado, com o revestimento, especialmente quando falamos de madeira. “Como os pisos de madeira não devem ser lavados, pois o excesso de umidade prejudica a aparência e durabilidade do produto, nós não os recomendamos para esses ambientes”, orienta Marcos.

Em áreas externas, o deck é a única indicação.

Assoalho Vintage, da Indusparquet, por Celso Laetano.

Assoalho Vintage, da Indusparquet, por Celso Laetano. (Divulgação/Indusparquet)

Manutenção

Durante a limpeza dos pisos de madeira, prefira uma vassoura de cerdas macias ou um pano levemente umedecido. A limpeza pode ser feita diariamente, mas o revestimento nunca deve ser encerado. “A manutenção dos decks vai depender do tipo de acabamento. Quando for a óleo, a cada três meses. Se o acabamento for no verniz, a cada seis meses”, indica Marcos.

Quanto à durabilidade, um piso bem cuidado deve durar de 20 a 30 anos. Vale também perguntar sobre as opções de revitalização e raspagem, que podem ser feitas (dependendo do tipo e do fabricante) antes de uma substituição.

“Recomendamos deixar sempre um carpete na entrada para evitar que a sujeira nos sapatos risque o piso, evitar cadeiras de rodinhas, malas e arrastar móveis”, diz. A Indusparquet também recomenda, para garantir uma durabilidade mais longa, o uso de produtos das marcas Skania e Blanchon.

Assoalho Vintage, da Indusparquet, por Joana Deicke e Manoela Bento Pereira.

Assoalho Vintage, da Indusparquet, por Joana Deicke e Manoela Bento Pereira. (Divulgação/Indusparquet)

Fungos e bactérias

“O tratamento e secagem adequados da madeira na fabricação eliminam o ataque de animais xilófagos. Porém, depois de instalado, se houver fungos principalmente por causa da umidade, as réguas começam a descolar, as madeiras mais claras ficam escuras e pequenos furos podem ser notados no piso”, explica Marcos.  Para evitar o aparecimento de fungos, bactérias e outros, lembre-se de nunca encerar o piso de madeira. Quando o assunto é o deck, ele nunca deve ser coberto com plástico ou com algum produto que não deixe o piso respirar.

 (Divulgação/CASA CLAUDIA)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s