Arquitetura moderna e contemporânea em Paris

10 prédios icônicos da cidade luz e como acessá-los usando transporte público

Quando remodelou Paris em meados do século 19, o prefeito Georges-Eugène Haussmann não criou apenas o urbanismo moderno e uma enorme valorização imobiliária. Formou também uma cidade uniforme, onde são onipresentes os prédios de seis andares, fachadas adornadas e sacadas. Mas Paris tem uma vida arquitetônica vibrante que passa despercebida da maioria dos turistas. Vencedores do Pritzker como Jean Nouvel e Renzo Piano criaram edifícios contemporâneos na cidade. E arquitetos fundamentais do modernismo, a exemplo de Le Corbusier e Oscar Niemeyer, criaram alguns dos seus principais projetos por ali. Confira aqui este guia para conhecer a arquitetura moderna e contemporânea da capital francesa. O melhor: de transporte público, como um bom parisiense.

01-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Foundation Louis Vuitton

Inaugurado no final de 2014, o ousado prédio de Frank Gehry destaca-se no Jardin d’Acclimatation, com o seu paisagismo do século 19. As 12 cúpulas de vidro foram construídas com mais de 3 mil painéis, criados sob medida. O resultado é um edifício que parece estar em movimento, como um veleiro estacionado no coração da cidade. As exposições centram-se em arte dos séculos 20 e 21.

Como chegar: De metrô, tome a linha 1 e desça na estação Les Sablons. De ônibus, tome a linha 224. E  

02-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Centre Georges Pompidou

Renzo Piano e Richard Rogers, dois ganhadores do Pritzker, se uniram para projetar esse museu. Quase quarenta anos depois de inaugurado, o prédio continua vanguardista. Circulações, escadas rolantes e a estrutura de aço ocupam o exterior; por dentro, o edifício tem plantas livres, moldadas como ditam as exposições. O pátio principal extende-se sem barreiras aparentes até a praça ao redor do prédio – lá, acrobatas, músicos e artistas de rua recebem os visitantes.

Como chegar: Desça na estação Rambuteau, linha 11 do metrô.

03-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Vila Savoye

A casa mais famosa de Le Corbusier é um ponto de peregrinação para arquitetos e estudantes nos arredores de Paris. A obra encarna seus famosos cinco pontos para uma nova arquitetura: pilotis erguem-na do chão, enquanto colunas laterais de concreto permitem interiores livres de divisórias. As fachadas, sem função estrutural, são recortadas por longas esquadrias em fita. No teto, um jardim ameniza a dilatação do concreto.

Como chegar: Tome a linha RER A do trem em direção até a estação Poissy; de lá tome o ônibus 50.

04-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Cité de La Musique

A série de edifícios abriga um museu com mais de 7000 instrumentos musicais, espaços educativos e, claro, salas de concerto para as orquestras que o ocupam. Mas esqueça a ordem e regularidade clássicas enquanto caminha pelos corredores. O percurso é marcado por volumes contrastantes, paredes que mudam de tonalidade e auditórios semi-enterrados, visualizados de cima pra baixo. A obra é do arquiteto Christian de Portzamparc.

Como chegar: Tome o tram ou a linha 5 do metrô até a estação Porte de Pantin. Também é possível ir de ônibus através da linha de ônibus 75 (Ponte Neuf – Porte de Pantin).

05-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Institute du Monde Arab

O arquiteto Jean Nouveau reinterpretou com vidro e metal temas da arquitetura do mundo árabe. As paredes da fachada sul do edifício funcionam como lentes ajustáveis que controlam a luz para o interior, uma menção aos muxarabiês. O pátio inspira-se nas casas tradicionais marroquinas, os riads. E a torre de livros faz referência aos zigurates babilônios. Além do edifício em si, vale conhecer as exposições e apresentações de dança que acontecem no local.

Como chegar: De metrô: acesso pela linha 7 (est. Jussieu) ou linha 10 (est. Cardinal Lemoine).  De ônibus: use as linhas 24, 63, 67, 86, 87, 89.

06-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Cinemateca Francesa

Berço do movimento do cinema nouvelle vague, a Cinemateca ocupa desde 2005 esse edifício projetado por Frank Gehry. O prédio nasceu como sede do Centro Americano em Paris, mas fechou as portas 19 meses depois da inauguração. Um retrofit guiado pelo arquiteto Dominique Brard trouxe nova vida à construção. O exterior continua o mesmo, mas o interior agora abriga salas de cinemas e uma enorme midiateca.   

Como chegar: Estação Bercy, nas linhas 6 e 14 do metrô. Ônibus nas linhas 24, 64 e 87

07-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Parque La Villette

Esse parque nos subúrbios de Paris não tenta ser uma interrupção no meio da cidade. Pelo contrário, revela a exuberância da vida urbana parisiense. Quadras esportivas, museus, espaços para apresentações culturais e jogos estão combinados ali. Durante o verão, o local se transforma em um cinema a céu aberto para 3 mil pessoas. O projeto tem assinatura de Bernard Tschumi.

Como chegar: De metrô: est. Porte de Pantin, na linha 5 e est. Porte de Villete, na linha 7. Ônibus: linhas 75, 151, PC2, PC3, 139, 150 e 152.  Tram: Linha 3b em direção aos pontos Porte de Pantin, Ella Fitzgerald ou Porte de la Villette.

08-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Cité de La Mode et du Design

Um antigo armazém do porto fluvial de Paris foi transformado nesse complexo pelo escritório Jakob + MacFarlane Architects. A estrutura de 1907 ganhou uma enorme passarela de metal, que abriga a circulação e conecta o espaço à rua. O prédio agora abriga salas de exposição, livrarias, cafés e o Instituto Francês de Moda.

Como chegar: De metrô: Gare d’Austerlitz (Linhas 5 e 10 ), Quai de la Gare (linha 6) e Gare de Lyon (linhas 1 e 14). RER: Gare d’Austerlitz, linha C. Ônibus: linhas 24, 57, 61, 63, 89, 91.

09-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Sede da Unesco

Não falta bom design no quartel general da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Os edifícios são assinados por arquitetos como Marcel Breuer e Bernard Zehrfuss. Interior e exterior receberam obras de grandes artistas – o complexo de prédios possui duas peças de cerâmicas de grandes dimensões de Miró, uma pintura de Picasso e o Jardim da Paz, criado por Isamu Noguchi. O espaço para meditação, um bunker de concreto cilíndrico criado pelo japonês Tadao Ando, convida à introspecção e relembra a bomba de Hiroshima. São aceitas visitas em grupo com agendamento prévio.

Como chegar: De metrô: est. École Militaire (linha 8); Cambronne (linha 6) e Ségur (linha 10).  De ônibus: linhas 28 e 80.

10-arquitetura-moderna-e-contemporanea-em-paris

 (/)

Partido Comunista Francês

Como tantos outros edifícios de Oscar Niemeyer, esse prédio de curvas sensuais parece flutuar. Mas para entrar, o visitante mergulha em uma parede de concreto ondulado, desenhada por Jean Prouvé, e chega ao subsolo, onde funciona a recepção. Assim, o espaço exterior é livre, destacando o jogo de volumes. Comunista, Niemeyer doou o projeto para o partido durante seu exílio voluntário na França, na época da ditadura militar. O edifício foi tombado pelo patrimônio histórico em 2007.

Como chegar: De metrô: est. Colonel Fabien (linha 2); Louis Blanc (linha 7) e Jaurès (linha 5)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s