Como fazer uma poltrona sem ser um designer de móveis

A jornalista Barbara Heckler resolveu colocar a mão na massa e tentar (por que não?) criar uma poltrona com suas próprias mãos. Para isso, participou de um workshop de criatividade no Sesc Pompeia. Abaixo, ela compartilha a experiência e dá a receita para você fazer a sua

abre-como-fazer-uma-poltrona-sem-ser-um-designer-de-moveis

Apesar das linhas precisas de um pai projetista, traços retos nunca foram o meu forte. A hereditariedade de desenhos bem elaborados passou longe de mim e minhas notas em geometria eram sempre as piores. Mas a minha vontade em fazer artefatos manuais aliada a minha criatividade me faziam arriscar a colocar a mão-na-massa, nem que o resultado fosse algo meio capenga.

O impulso de criança ficou guardado e voltou à tona este ano, principalmente com o conhecimento das Oficinas de Criatividade do Sesc Pompeia. Quando o anúncio do curso de férias de marcenaria pulou diante de meus olhos, em uma rede social, achei que era o momento de resgatar aquela vontade deixada lá trás.

Optei pelo curso da Poltrona Amarela, desenho assinado pelo designer Rodrigo Silveira e pelo Lab74, uma escola de marcenaria de São Paulo. Eles democratizaram o projeto em seus sites. Ou seja, qualquer um pode baixar e fazer.

Mas, para os novatos, como eu, é recomendável que tenha um marceneiro junto, para ensinar os processos. No meu caso, quem ministrou foi o próprio pessoal da Lab74, o trio Bruno Lima, Tadeu Omae e Alex Tonda. Para eles, o lema é que qualquer um pode arriscar a fazer seu próprio móvel, usando ferramentas manuais.

Devo dizer que ver uma poltrona lixada, serrada e parafusada pelas minhas próprias mãos é uma das sensações mais maravilhosas que já tive. Eu vou continuar tentando. E você? Quer tentar?

Passo a passo: 

1. Você vai precisar de meia chapa de compensado para fazer a poltrona.

2. Serre as partes como está descrito no projeto.

3. Use ¼ de lixa no150 para lixar as partes já cortadas. Faça o movimento de ida e volta na direção dos veios do compensado. Uma dica é pegar um pequeno retângulo de madeira e envolver três lados com a lixa, assim, facilita o trabalho.

4. Depois de lixar, trate a madeira com algum produto como verniz, seladora à base de água ou seladora diluída em Thinner (a proporção 50%/ 50% é a medida que os marceneiros mais utilizam). Para passar o produto, faça uma boneca. Pegue um punhado cheio de algodão e faça movimentos circulares pequenos na madeira, até que todos os lados fiquem prensados. Dependendo do produto, é importante utilizar máscara para cheiro (com carvão) e luvas de nitrílicas para a aplicação. Mergulhe a parte que não está segurando da boneca no produto líquido e aplique na madeira. Não passe nas faces onde serão coladas as fórmicas.

5. Deixe secar cerca de 20 minutos cada peça e lixe, de leve, novamente, para aplicar a segunda demão.

6. Parafuse o encosto na parte triangular e o assento no trapézio, conforme o projeto.

7. Corte a fórmica com um “riscador” ou com um bom estilete (passe em cima do risco cerca de dez vezes no mesmo ponto até quebrar), usando o assento, o encosto e a bandeja como moldes. Lembre-se de deixar cerca de um dedo de sobra na fórmica para facilitar a colagem na madeira.

8. Passe homogeneamente a cola de contato (conhecida como cola de sapateiro) tanto na face da madeira, quanto na parte de baixo da fórmica. Repita o processo apenas na madeira. Quando as duas partes estiverem quase secas, junte-as (lembre-se de ler as instruções na embalagem, já que cada fornecedor recomenda um tempo de espera para o seu produto).

9. Use uma tupia (laminadora ou mesmo o riscador) para retirar as sobras da fórmica e dê o acabamento nas bordas com uma lima.

10. Encaixe as partes já montadas, parafusando-as de dentro para fora e, por fim, a badeja na parte de baixo, colocando cantoneiras metálicas ou em “L” metálicos. 

Baixe aqui um PDF com o projeto ilustrado

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s