Olhares viram arte na exposição Cores do Brasil, no Ibirapuera

Fotos do cotidiano, feitas por jovens de quatro cidades do país, tornaram-se estampas digitais nas mãos dos designers Bruno Basso e Christopher Brooke.

A beleza trivial, que, muitas vezes, passa despercebida, foi traduzida em padrões coloridos e intrigantes pelo brasileiro Bruno Basso e pelo inglês Christopher Brooke, designers da marca Basso & Brooke. Eles, junto com Didi Rezende e Kalina Bourgeois, do Estúdio Oitavo Andar, deram vida ao projeto Cores do Brasil. A iniciativa estimulou jovens de periferia a captarem as imagens que os cercam. Depois, elas serviram de base para a criação de estampas digitais com a cara de nosso país. “Sempre tivemos interesse em desenvolver algo com o foco no futuro, evitando os clichês associados à pobreza”, diz Bruno. Para isso, em Belém, Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo, 64 adolescentes receberam um treinamento muito especial, comandado por Tuca Vieira. Durante cinco dias, o experiente fotógrafo ensinou os macetes da câmera digital e o mais importante: analisou a produção lado a lado com os alunos a fim de conduzir o olhar dos participantes a detalhes comoventes.

Terminadas as oficinas, havia um acervo de mais de 12 mil imagens. “Ficamos íntimos das fotografas e envolvidos emocionalmente com elas. A seleção foi quase instintiva, e a edição final, feita de acordo com as histórias que queríamos contar na instalação”, explica Bruno. O resultado do processo pode ser visto na exibição montada na Oca, no Parque Ibirapuera. A cenografia é do arquiteto e designer croata, radicado no Brasil, Marko Brajovic, que encantou o público com seu trabalho na exposição David Bowie, encerrada recentemente no Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS). Para apresentar as cores nacionais, ele idealizou um grande livro aberto, em que diversos ambientes são retratados nas páginas. Em cada espaço, as estampas surgem aplicadas em superfícies como couro, tecido, ladrilho hidráulico e madeira. Em vez de significar o fim da história, a mostra abre novas perspectivas. “Esperamos fechar parcerias de licenciamento das padronagens e gerar renda para os participantes”, diz Kalina.

Cores do Brasil. Oca, no Parque Ibirapuera

av. Pedro Álvares Cabral, portão 3. Até 2 de agosto.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s