Tecidos aquarelados, geométricos e de alfaiataria estão na moda!

O namoro entre as tendências das passarelas e as tramas do décor continua firme, trazendo estampas que enriquecem visualmente os ambientes. Selecionamos opções das três principais vertentes para servir de inspiração.

01-tecidos-aquarelados-geometricos-e-de-alfaiataria-estao-na-moda

 (/)

GEOMÉTRICOS: Modelos como o Cavaca Damasco (1) vão bem em projetos contemporâneos e de estilo clean. Misto de algodão, viscose e linho, com 1,40 m de largura, ele custa 164 reais, o metro, na Regatta.

AQUARELADOS: Os espaços ganham em suavidade com exemplares como o veludo sintético Vegas (2), de efeito molhado e com 1,40 m de largura, da Texpoint para a Paludetto. Preço: 115 reais, o metro.

ALFAIATARIA: Convocado em ambientações mais sóbrias, este tipo surge representado pelo linho xadrez importado (3) (ref. 028190-025, com 1,40 m de largura), da nova linha da Bauhaus (215 reais, o metro).

 

02-tecidos-aquarelados-geometricos-e-de-alfaiataria-estao-na-moda

 (/)

GEOMÉTRICOS: Grafismos em versões multicoloridas e tamanhos variados ampliam as possibilidades de aplicação.

1 | Da coleção Polinésia, o jacquard Hawaii Blue (1,40 m de largura) custa 228 reais, o metro, na Entreposto.

2 | Lançamento da Donatelli, o tecido com 1,37 m de largura integra a coleção Linho Dionisio Geométrico. Por 165 reais, o metro.

3 | Exibe padrão delicado o suede Frisbee, que tem 1,40 m de largura. É vendido por 147 reais, o metro, na Casa Rima.

4 | A fIbra acrílica da linha Tempotest resiste a intempéries. Com 1,40 m de largura, vale 339 reais, o metro. Da Tutto a Bordo.

5 | Com 1,40 m de largura, o linho chapelco batizado Joias de Tarsila, da JRJ, sai por 339 reais, o metro.

Lembranças de Tarsila pela casa: Ícone da história da arte brasileira, a pintora Tarsila do Amaral (1886-1973) motivou a JRJ a criar uma coleção de 40 estampas art déco com base em seus esboços e estilo de vida. “Ela gostava de brincos extravagantes. Os arabescos desta padronagem remetem a esse lado luxuoso”, afirma Mariana Gabriel, sócia da marca.

 

03-tecidos-aquarelados-geometricos-e-de-alfaiataria-estao-na-moda

 (/)

AQUARELADOS: Tecidos com pinceladas florais são perfeitos para compor cortinas, almofadas e roupas de cama.

1 | Veludo sintético opaco, o Vellus dispõe de 1,45 m de largura. Da Texpoint/DecorHabit, com valores a partir de cem reais.

2 | O exemplar de algodão faz parte da coleção Jessica Zoob, criada pela Romo. Tem 1,37 m de largura e preços desde 700 reais, o metro, na Celina Dias.

3 | Com largura de 1,50 m, o linho Foliage PO 1360, da coleção Secret Garden, vale 712 reais, o metro. Da Poeira.

4 | O metro da camurça Monet, com 1,40 m de largura, sai por 70,70 reais na Cinerama.

Das telas para as tramas: Fundada em 1902, a grife britânica Romo não ficou parada no tempo: antenada, ousou ao transpor para tecidos as delicadas obras da consagrada artista plástica inglesa Jessica Zoob. “O resultado são modelos que parecem verdadeiras pinturas e podem formar lindos painéis”, diz Anna Dias, diretora de vendas da Celina Dias, empresa paulistana que representa a marca no Brasil.

 

04-tecidos-aquarelados-geometricos-e-de-alfaiataria-estao-na-moda

 (/)

ALFAIATARIA: Livre de modismos, os tradicionais padrões imprimem elegância atemporal aos ambientes.

1 | O pied-de-poule Garden, de algodão e com 1,35 m de largura, sai por 116 reais, o metro. Da Orlean.

2 | De algodão e PET, modelo Shoro (1,50 m de largura), de Alexandre Herchcovitch para a EcoSimple. Preço sugerido de 129 reais, o metro.

3 | Com largura de 1,70 m, a lã Gravel, da dinamarquesa Kvadrat, vale 550 reais, o metro.

4 | O metro do algodão Domus (1,35 m de largura) custa 344 reais no Empório Beraldin.

5 | Poliéster com estampa chevron Charmant (1,40 m de largura). Por 237,40 reais, o metro, na Vitrine.

Não basta ter estilo, precisa ser sustentável: A parceria entre o estilista paulistano Alexandre Herchcovitch e a EcoSimple, fabricante de tecidos ecológicos, já rende a terceira coleção. “A linha New York foi inspirada na arquitetura da metrópole norte-americana”, diz o autor, que indica o uso das padronagens com um quê urbano especialmente em estofados.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s