M/Live: designers que empoderam mulheres através do trabalho com comunidades

Fabíola Bergamo, Fernanda Yamamoto e Paula Dib são exemplos de profissionais que aliam o design ao artesanato a fim de descobrir novos caminhos que valorizem o saber manual e criem produtos sustentáveis e competitivos para gerar mais renda e autoestima às comunidades artesãs.

Design-e-artesanato

 (/)

Durante toda a terça-feira, 8 de março, as revistas e os sites femininos da Editora Abril juntam forças em uma programação intensa de bate-papos e recebem mulheres que se destacam em seus segmentos e que têm muita coisa interessante para compartilhar. As discussões serão transmitidas pelo Facebook e a CASA CLAUDIA participa com o tema “Design e Artesanato”: Fabíola Bergamo, Fernanda Yamamoto e Paula Dib conversam com Regina Galvão, editora da revista, sobre designers que empoderam outras mulheres através do trabalho com comunidades. Confira como foi a transmissão.

 

Fabíola Bergamo

Desde os anos 1980, período em que se formou no curso de Desenho Industrial do Mackenzie, Fabíola Bergamo vem somando méritos acadêmicos – é mestra pela Domum Academy, em Milão, Itália, entre outros títulos – a experiências em estúdios de design e comunidades artesãs de diferentes estados. Em Milão, lugar no qual viveu de 1986 a 92, Fabíola se aproximou dos processos artesanais e decidiu transformar esse tema em ofício. “Depois de viajar muito pelo Brasil, adquiri uma visão clara da nossa pluralidade. E é desse conhecimento que vem meu cuidado com as intervenções que sugiro no trabalho dos artesãos. Interferências equivocadas podem estragar uma técnica tradicional”, pondera. Referência de profissional que alia design e artesanato de forma sensata, Fabíola firma parcerias com ONGs e empresas privadas para desenvolver ações que fomentem o crescimento de pequenos e médios empreendedores.

Conheça mais sobre seu trabalho: http://fabiolabergamo.com.br/

 

Fernanda Yamamoto

Formada em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), Fernanda Yamamoto pós graduou-se em Direção de Criação de Moda na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) e, em 2009, fundou a loja com seu nome na Vila Madalena, em São Paulo. A estilista começou a partir daí a desenvolver um estilo único de criação que abraça cores, texturas e processos artesanais. Em 2010, a estilista estreou na Fashion Week (SPFW), e viu seu nome, já estabelecido por aqui, alçado aos holofotes internacionais, o que a levou a participar da Semana de Moda de Tóquio e da Raiz Deseño, no Chile. Sua mais recente coleção de roupas e acessórios para o inverno 2016 traz referências da caatinga do Cariri paraibano.  Várias viagens à região renderam uma parceria com 60 rendeiras do coletivo feminista Cunhã e belas criações com motivos geométricos, no qual explorou raízes, galhos e outros elementos típicos do lugar. “Tudo lá me inspirou. Da poesia impregnada nos padrões das rendas renascença ao cenário do entorno”, revela.

Conheça mais sobre seu trabalho: https://www.facebook.com/FernandaYamamotoOficial/

 

Paula Dib

Em Helvécia, no sul da Bahia, essa paulistana incentivou crocheteiras a usarem lascas de eucalipto, material abundante na região devido aos resíduos de uma fábrica de papel e celulose, na produção de cachepôs, fruteiras e luminárias. Na África, em parceria com educadores moçambicanos, enxergou em pedaços de bambu e palha de milho os recursos necessários para montar brinquedos pedagógicos. Vencedora do prêmio internacional Young Design Entrepreneurs of the Year (2006), Paula procura aplicar seu conhecimento em design industrial – formou-se na FAAP – na busca de soluções que possam criar novas realidades em comunidades carentes. Atenta ao outro desde sempre, ela viveu dois meses numa tribo aborígene na Austrália e com pescadores no litoral brasileiro antes de ingressar na faculdade. Foi a partir dessas experiências que nasceu seu interesse pelo fazer manual. “Meu desejo é de que o artesanato seja reconhecido como uma profissão de valorosa importância e capaz de realizar profundas mudanças sociais”, diz ela. Há 13 anos, a profissional comanda o Trans.forma Design, empresa que atua em comunidades de baixa renda, mostrando ser possível confeccionar produtos de boa qualidade com resíduos urbanos e industriais.

Conheça mais sobre seu trabalho: http://www.pauladib.com.br/

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s