Cais do Valongo pode se tornar patrimônio mundial da UNESCO

Construído em 1811, o local foi o principal porto de entrada de escravos no continente americano

 (Reprodução/Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro)

Há mais de um ano aceito como candidato para ser reconhecido como Patrimônio da Humanidade da UNESCO, o Cais do Valongo deve receber em julho a resposta do Comitê do Patrimônio Mundial.

Construído em 1811 pela Intendência Geral de Polícia da Corte do Rio de Janeiro, o cais foi o principal porto de entrada de escravos no continente americano e é patrimônio cultural da cidade. Além disso, o local integra a Rota dos Escravos da UNESCO e o Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana.

 (Reprodução/Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro)

“O Iphan e a Prefeitura do Rio veem com muito otimismo a possibilidade de inscrição  do Cais do Valongo na lista do Patrimônio Mundial que, uma vez concretizada, representará o reconhecimento do seu valor universal excepcional, como memória da violência contra a humanidade representada pela escravidão, e de resistência, liberdade e herança, fortalecendo as responsabilidades históricas, não só do Estado brasileiro, como de todos os países membros da UNESCO. É, ainda, o reconhecimento da inestimável contribuição dos africanos e seus descendentes à formação e desenvolvimento cultural, econômico e social do Brasil e do continente americano”, explica o site oficial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Confira, abaixo, o dossiê da candidatura:

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.