Apê em São Paulo com décor preto e branco

Uma reforma total trouxe novos materiais e ar minimalista a este apartamento paulistano

Uma reforma total trouxe novos materiais e ar minimalista a este apartamento paulistano Em primeiro plano, poltronas Isa, de Jader Almeida. Ao fundo, poltrona Slow, da Vitra, mesa de centro da Clami e vaso da Dpot Objeto. Sofá dupla face da Poliform, almofadas de Codex Home e tapetes da Nani Chinellato.

Em primeiro plano, poltronas Isa, de Jader Almeida. Ao fundo, poltrona Slow, da Vitra, mesa de centro da Clami e vaso da Dpot Objeto. Sofá dupla face da Poliform, almofadas de Codex Home e tapetes da Nani Chinellato. (Adriano Escanhuela/Revista CASA CLAUDIA)

Foram necessários oito meses de reforma para mudar a cara deste apartamento de 250 m² nos Jardins, em São Paulo. O projeto, assinado pela arquiteta Consuelo Jorge, não deixou nenhuma pista de como o local era anteriormente. Até as janelas e portas de todos os cômodos foram substituídas. Isso sem contar o piso, que recebeu uma nova cobertura, as paredes, que foram derrubadas, e os móveis, comprados especialmente para dar forma ao décor. “Os antigos revestimentos estavam datados e as paredes em excesso bloqueavam a iluminação natural. Porém, o apê tinha metragem ideal e muito potencial”, explica Consuelo.

Uma reforma total trouxe novos materiais e ar minimalista a este apartamento paulistano Lugar incomum para obras de arte, a bancada da cozinha exibe desenho de Flavio de Carvalho. Arandelas feitas com azulejos da Lurca.

Lugar incomum para obras de arte, a bancada da cozinha exibe desenho de Flavio de Carvalho. Arandelas feitas com azulejos da Lurca. (Adriano Escanhuela/Revista CASA CLAUDIA)

Uma reforma total trouxe novos materiais e ar minimalista a este apartamento paulistano Sobre o aparador (Estudiobola), vaso de Jader Almeida e obras de Macaparanae Sérvulo Esmeraldo.

Sobre o aparador (Estudiobola), vaso de Jader Almeida e obras de Macaparanae Sérvulo Esmeraldo. (Adriano Escanhuela/Revista CASA CLAUDIA)

Após a obra, ambiente passou a ter a amplitude de um estúdio, todo em tons neutros e adaptado à vida prática do casal de moradores – uma nutricionista e um empresário do mercado financeiro. “Aberta para a sala, a cozinha se tornou o ponto central da casa. Por isso, ganhou materiais nobres, como uma bancada preta e mármore calacata.”

Uma reforma total trouxe novos materiais e ar minimalista a este apartamento paulistano No banheiro do casal, o piso e as paredes das áreas molhadas foram revestidos de mármore calacata. Torneiras e chuveiros da Deca.

No banheiro do casal, o piso e as paredes das áreas molhadas foram revestidos de mármore calacata. Torneiras e chuveiros da Deca. (Adriano Escanhuela/Revista CASA CLAUDIA)

A arquiteta manteve a mesma linguagem em todo o apê – até os banheiros seguem a linha minimalista, com materiais idênticos aos da cozinha. Preto, branco e cinza dominam a paleta discreta, mas uma peça se destaca diante da neutralidade: a tela vermelha da artista plástica Niura Bellavinha, que pertencia à coleção do dono da casa. “É um projeto sem excessos. Por isso, o mobiliário e os complementos acompanham esse conceito”, explica a arquiteta.

Uma reforma total trouxe novos materiais e ar minimalista a este apartamento paulistano A tela vermelha de Niura Bellavinha veio da antiga casa do morador. Mesa de jantar e cadeiras da Micasa. Pendentes Aim, da Flos. Centro de mesa de Jacqueline Terpins.

A tela vermelha de Niura Bellavinha veio da antiga casa do morador. Mesa de jantar e cadeiras da Micasa. Pendentes Aim, da Flos. Centro de mesa de Jacqueline Terpins. (Adriano Escanhuela/Revista CASA CLAUDIA)

Uma reforma total trouxe novos materiais e ar minimalista a este apartamento paulistano Poltrona de Antonio Citterio e mesinhas da Vitra, da Micasa.

Poltrona de Antonio Citterio e mesinhas da Vitra, da Micasa. (Adriano Escanhuela/Revista CASA CLAUDIA)

Uma das principais sugestões de Consuelo foi o sofá modular do living, do tipo ilha, que pode ser usado de dois lados. Um deles fica voltado para o terraço e o outro para a parede em que os moradores assistem filmes, num telão retrátil. O móvel compõe dois ambientes na sala sem criar uma barreira visual ou uma separação formal e faz parte da estratégia de valorizar a integração entre os espaços. “Acabar com as divisórias foi fundamental para melhor amplitude do apartamento e ganahr fluidez”, completa a profissional.

Uma reforma total trouxe novos materiais e ar minimalista a este apartamento paulistano A cabeceira da cama (Artefacto) fica afastada da parede. Atrás do móvel foi criado um pequeno home office. Mesinhas da Artefacto e luminária da Fas.

A cabeceira da cama (Artefacto) fica afastada da parede. Atrás do móvel foi criado um pequeno home office. Mesinhas da Artefacto e luminária da Fas. (Adriano Escanhuela/Revista CASA CLAUDIA)

Siga CASA CLAUDIA no Instagram

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s